sábado, 26 de julho de 2014

Casas desmoronam em Porto Velho após chéia do Madeira

Site de notícias de Porto Velho publica fotos das casas dos moradores de Porto Velho desmoronando depois da chéia do Madeira atingir as casas do tradicional bairro ribeirinho, o Bairro Triângulo, inclusive os trilhos do centenário tren Madeira-Mamoré. Por outro lado as construtoras das usinas tem sido contenadas pelo Tribunal de Trabalho por causas trabalhistas. 

Sábado, 26 de julho de 2014 - 12:59. Pós cheia. Desmoronamentos aumentam diariamente no Bairro Triângulo.



Uma rua fantasma, destruída pela enchente histórica do Rio Madeira. Essa é a dura realidade hoje da antiga Rua Madeira Mamoré, no Bairro Triângulo, com casas totalmente destruídas e sendo a cada dia arrastadas com os constantes desmoronamentos causados pelo reflexo da cheia. Antigos moradores vivem o desespero de verem as casas no chão e disparam contra as usinas pela destruição do bairro mais antigo de Porto Velho. 

O carpinteiro Delso Marcelino afirma que somente agora estão sendo apresentados estudos de que o impacto das usinas do Madeira seriam devastadores. Ele ressalta que uma reunião foi realizada com os moradores atingidos, ocasião em que engenheiros apresentaram resultados que culpam das hidrelétricas pela enchente que desabrigou milhares de pessoas e devastou alguns distritos do Baixo Madeira. 
Delson vive no bairro Triângulo há 49 anos e lamenta o atual cenário que se formou no local. “Nasci nesse bairro pelas mãos da parteira vovó Filó e nunca esperávamos que seríamos enganados com a construção dessas usinas. Já temos estudos que comprovam esse fato e os antigos moradores dessa região sofrem com esses descaso e estão vivendo longe de suas residências”, ressaltou Delso

A cada dia, o barranco de barro deixado pela cheia do Madeira desmorona, levando casas para o fundo do rio. O morador Renato Mourão lamenta a situação caótica e o descaso das autoridades que fazem vistas grossas para o grave problema. “Até semana passada conseguíamos passar por aqui normalmente, mas agora cada dia um pedaço vai ao chão”. 

Da mesma forma lamenta o morador Roberto Carlos que pede mais providências que possam evitar com que parte do Bairro Triângulo se transforme numa “Zona Fantasma”. Ele conta que antigos moradores estão morrendo depois da enchente por depressão de verem suas casas destruídas. “Estamos aterrorizados com o que está acontecendo nesse bairro tão tradicional de Porto Velho. Senhoras de idade como a dona Raquel e dona Neci faleceram recentemente por não suportarem ver suas residências arrastadas pela enchente”, afirmou.

Fonte e fotos: rondoniagora


Construtoras de usina condenadas a pagamento de indenização
A 3ª Vara do Trabalho de Porto Velho condenou as empresas Construções e Comércio Camargo Correa S/A e Consórcio Santo Antônio Civil ao pagamento de danos morais nos valores de R$ 20 mil reais e R$ 10 mil reais, respectivamente. Além de danos morais, a Camargo Correa também terá de pagar indenização por acidente de trabalho, anotações devidas na CTPS e recolhimento do FGTS e o Consórcio Santo Antônio Civil ainda foi condenado ao pagamento por doença do trabalho, pensão mensal, despesas médicas, bem como honorários periciais.
Fonte TRT-14 / rondoniagora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.