sábado, 29 de maio de 2021

XVII Assembleia da Comissão Pastoral da Terra- Regional Rondônia

A Comissão Pastoral da Terra- Regional Rondônia, realizou entre os dias 25, 26 e 27 de maio de 2021, sua XVII Assembleia eletiva de maneira virtual por conta da pandemia da COVID-19.

Foram meses de preparação para que este momento ocorresse. Prezando pela escuta das áreas acompanhadas, agentes, conselheiros e parceiros uniram-se entre os dias 9 de abril a 7 de maio de 2021, com o propósito de dar voz ao povo do campo.

A partir dessas escutas realizadas em cada uma das regiões acompanhadas foram escolhidos os nomes dos candidatos à nova coordenação executiva colegiada da CPT-RO. Assim como, a escolha dos novos/as conselheiros/as que atuarão junto aos agentes pastorais nos próximos três anos (2021 a 2024).

A assembleia, mesmo virtual, foi permeada de simbolismo. Cada participante pôde expressar sua satisfação de estar presente neste momento por meio dos espaços organizados em suas casas, com bandeiras que representam a luta do povo do campo, flores, palavras bíblicas, velas e diversos outros objetos que expressam a resistência dos povos da floresta e das comunidades tradicionais.

Altares que diversas áreas acompanhadas organizaram
para receber a XVII Assembleia eletiva da CPT-RO

A Assembleia, além da escolha da nova coordenação executiva colegiada, constituindo-se pelos agentes pastorais Maria Petronila, Roberto Ossak e Jairo Godinho, como membros titulares, e por Wellington Lamborghini e Rosiane Chicuta, como membros suplentes, reafirmou os eixos de atuação da CPT-RO para os próximos três anos. Sendo eles: 1) agroecologia e produção agroecológica; 2) defesa dos direitos dos povos e da natureza; 3) denúncias e sistematização dos casos de violência. 

Em relação a agroecologia, a CPT-RO ampliará o combate aos agrotóxicos, ao desmatamento e queimadas ilegais que prejudicam cada vez mais nossa terra, nossa Amazônia.  Além de Percorrer novos caminhos para cuidar da casa comum e da ecologia integral, fortalecendo-se no ideário de economia de Francisco e Clara.

O segundo eixo de ação da Pastoral da Terra terá como foco a prevenção e o combate ao trabalho escravo, a grilagem de terras e violações do direito da natureza. Serão promovidas formações e articulações em prol da comunicação de grupos de mulheres, jovens, comunidade LGBTQI+ e a discussão sobre a masculinidade pelo viés anticapitalista, visto que compreendemos que este modelo de acumulação capitalista, que fortalece o patriarcado,  prejudica homens, mulheres e demais indivíduos por meio do processo de precificação do sujeito, uma vez que para o capital tudo se transforma em mercadoria. Valor de uso e valor de troca.

O terceiro eixo propõe reforçar os processos de comunicação e sistematização das denúncias dos diversos conflitos e violências sofridas pelos povos tradicionais e comunidades do campo. Bem como, promover uma comunicação amazonizada nos espaços de articulação das regiões, constituir um protocolo de acompanhamento dos processos de denúncias realizadas pelas áreas acompanhadas junto a Ouvidoria Geral e Defensoria Pública. Com a finalidade de fortalecer a luta pela permanência na terra e nos territórios, por meio de trabalhos de base que contribuam com a luta dos povos e comunidades do campo e da floresta.

Estes são alguns dos destaques das ações que serão promovidas pela CPT-RO juntos aos agentes pastorais, conselheiros e demais parceiros que irão fortalecer nossa luta por justiça, paz, e dignidade no campo, na cidade e na floresta. 


Fonte: CPT-RO

Um comentário:

  1. Parabéns para Nova Equipe da CPT-RO, desejo força para todos.
    Em uma conjuntura tão complicada que o país e Rondônia vem passando por esse desgoverno, devemos ser resistência sempre em prol dos mais necessitado e marginalizados pelo poder capitalista.

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.