terça-feira, 7 de abril de 2020

EM VILHENA - SAIBA ONDE E COMO ADQUIRIR ALIMENTOS SAUDÁVEIS, QUE CHEGAM ATÉ VOCÊ PELAS MÃOS DA PEQUENA AGRICULTURA!


Vilhena é um dos municípios conhecidos em razão do avanço da soja e dos conflitos agrários. A safra 2018/2019 de Rondônia chegou ao volume de 1,1 milhão de toneladas dessas commodities, dez anos atrás não chegava a 350 mil toneladas. A incorporação de áreas para essa produção esteve e contínua acompanhada por conflitos no campo, seja pela expropriação do posseiro/pequeno agricultor, que em partes, serão lançados para as frentes de expansão agrícola e pecuária, onde se dão novos processos de invasão e grilagem de terras públicas.
O  Projeto de Assentamento Águas Claras foi criado em 26 de outubro de 2012, a área tratava-se de terra pública concedida na forma de Contrato de alienação de terras públicas CATP’s, sob clausulas resolutivas. “O grupo de trabalhadoras e trabalhadores de Vilhena ocupou a área, enfrentou despejos, ameaças e agressões, porém com resistência e perseverança conseguiu a retomada judicial da área e a criação de um assentamento de reforma agrária, cultivando com sucesso uma área do cerrado. Onde seguem firmes, apesar de muitas pendências na efetivação do assentamento, de dificuldades como a escolarização das crianças e problemas de saúde, por estarem rodeados de plantações de soja, com uso intensivo de agrotóxicos” (Carta Da XVI Assembleia Da Comissão Pastoral Da Terra De Rondônia, Blog CPT/RO).
Uma das poucas conquistas da terra nessa região, que segue despejando posseiros de suas terras, é o caso das mais de 150 famílias dos lotes 62, 63 e 64 da Fazenda Vilhena, onde enfrentam ações judiciais que intentam retirá-los da terra. Também é o caso de 45 famílias de Chupinguaia, lote 52, Associação Nossa Senhora Aparecida, que se encontram despejadas desde outubro de 2019, após verem anos de trabalho e seus bens destruídos, restou-lhes a lona preta dos acampamentos.
Apesar dos problemas citados, o PA Águas Claras, vem se firmando também a partir da produção agroecológica, foram várias as oficinas e acompanhamento da CPT/RO e também parcerias estabelecidas pelos assentados com órgãos e entidades locais. Mesmo com a soja ao lado, e com todas as dificuldades impostas pelo uso do agrotóxico nessa plantação, as famílias tem adquirido, cada vez mais, a consciência dos malefícios desses produtos, e optam pela produção de alimentos e não de commodities. Hoje, os agricultores se organizam para fazer o alimento chegar até a casa dos consumidores do município.
Apoiar a Reforma Agrária, a regularização de territórios tradicionais (indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas), é contribuir para que o agricultor e a agricultora tenha condições de produzir alimentos, com variedade e qualidade e que eles cheguem até você, com preço justo! Essa é uma iniciativa de assentados/as do PA Águas Claras em Vilhena e pelo whatsApp você recebe a lista e valores dos produtos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.