sexta-feira, 7 de outubro de 2016

São Felipe D'Oeste realiza 30ª Romaria da Bíblia


“Para a terra prometida, o povo de Deus marchou, 
Moisés andava na frente, hoje Moisés é a gente 
quando enfrenta o opressor.”


No dia 25 de setembro, realizou-se em São Felipe d’oeste a 30° Romaria da Bíblia, com o tema: Terra bem cuidada, vida garantida! E como lema: E Deus viu tudo o que havia feito, e tudo era, muito bom. (Gn 1,312). 


O evento é promovido anualmente pela paroquia Nossa Senhora de Fátima de Pimenta Bueno. Estavam presentes, as irmãs Dolores e Augusta da Congregação de Maria Missionária que fazem parte da história, que lutaram e resistiram com o povo. Esta Romaria celebra em ações de graças: as conquistas do povo, a conquista da terra tão sonhada e prometida.
Testemunhamos a luta de um povo que sonhou, lutou e conquistou a terra prometida que nos fala o Evangelho, e todos os dias, renovam sua esperança na luta: por direitos, moradia, vida digna, e buscam forças na Palavra de Deus. Um povo que vai à fonte da água santa e se renova as esperanças.
Em sintonia com a Igreja neste momento tão importante, o Papa nos pede um olhar atento carinhoso, cuidadoso e responsável, com a Casa Comum.
Na busca constante, por um mundo melhor, somos convidados a ser Moisés, que sem medo enfrenta o opressor, somos convidados a ser protagonistas de nossa historia, e juntos e juntas buscar um mundo novo e justo, igualitário e mais humano, sem perder de vista a utopia.


A mística de abertura da Romaria foi marcada pela história recontada por seus protagonistas, o povo que estavam lá em 1983, na retomada da fazenda são Felipe, que em seguida foi destinada para assentamento da reforma agrária, em posse do povo. História recontada por irmã Dolores e irmã Augusta, que conforme iam contando o passo a passo da história, a encenação permeava pelo meio dos romeiros e romeiras: a história das cruzes fincadas ao caminho, lembrando a via sacra presidida pelo Pe. João Zanoto (in - memória), comboniano, que no dia do confronto entre   jagunços  e sem terra estava lá ele, o Padre João Zanoto e irmã Dolores, realizando uma peregrinação com mulheres e crianças, (pois os homens se encontravam no confronto) rumo a um igarapé, hoje batizada de Água Santa.

Irmã Dolores foi contando os momentos mais fortes vivenciado no meio daquele povo: caminhada das cruzes, primeira eucaristia na beira do igarapé Água Santa, o trator atolado e o tiroteio de jagunços.

Afirma a história que o local da água foi batizado de Água Santa pelo motivo, de no dia do confronto, enquanto o Padre João Zanoto e irmã Dolores celebravam a primeira eucaristia Á beira da Água, um peão tentava ultrapassar o igarapé num trator, com ordem de derrubá todos os barracos do povo, e para surpresa de todos, o trator foi atolado ao cruzar o pequeno riacho, sem explicações. Para o povo foio um milagre.

Muitas lágrimas puderam ser vistas caindo dos olhos daqueles e daquelas que iam presenciando cada cena. Os tiros dos pistoleiros, contada por Daniel (que foi atingido por uma bala durante o confronto em 1983)...como não chorar! aquela encenação continua sendo real em nossos dias, onde camponeses continuam caindo pela mãos de pistoleiros a mando de latifúndio. A cena é real.

Outro momento marcante, além da caminhada e da celebração eucarística, foi a fila do povo, onde os palestrantes trouxeram tema importantíssimo à exemplo da agroecologia, o não uso dos agrotóxicos, a luta dos povos indígenas e a tão sonhada reforma agrária.

Romaria da Bílbia, refazendo a história, daqueles que lutaram e não desanimaram e buscaram a vitória! Sr. Miguel (músico e compositor).

30 anos de romaria da bíblia: "E Deus viu que tudo era muito bom"

VIVA A ROMARIA DA BÍBLIA!
VIVA A CONQUISTA DO POVO DE SÃO FELIPE!
VIVA TODOS E TODAS OS/AS ROMEIRAS!
VIVA O POVO DE DEUS!

CPT-RO


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.