sexta-feira, 11 de setembro de 2015

I Caravana de Agroecologia de Rondônia


Durante os dias 27 a 30 de outubro acontecerá a I Caravana Agroecológica de Rondônia, que é uma proposta da Articulação Nacional de Agroecologia e tem por objetivo dar visibilidade às ações das instituições e agricultores no âmbito da agroecologia, visa fazer divulgação entre o público potencial de consumidores da produção de alimentos limpos que existe no estado e colocar as ações das organizações da sociedade civil em evidência. 

A Caravana de Agroecologia de Rondônia tem como parceiros na organização: o Projeto Padre Ezequiel/Diocese de Ji-Paraná, Movimento Sem Terra - MST, Comissão Pastoral da Terra – CPT, Associação das Escolas Família agrícola de Rondônia – AEFARO, Associação Brasileira de Homeopatia Popular – ABHP, Articulação das Associações Organizadas de Ajuda Mútua – ACARAM, Cooperativa de Produtores Rurais Organizados para Ajuda Mútua – COOCARAM, Projeto Pacto das Águas. Entre as entidades públicas estão integrantes da Universidade Federal de Rondônia-UNIR. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia-IFRO e Ministério de Desenvolvimento Agrário – MDA. 

Programação: 

A caravana está com data prevista para o período de 27 a 30 de outubro de 2015, dois grupos de trinta pessoas composto por integrantes da ANA-Articulação Nacional de Agroecologia, pesquisadores, agricultores e profissionais. 

No dia 27 de outubro de 2015 pela manhã em Ji-Paraná/RO os grupos se reunirão para a socialização da programação e objetivo da caravana, no mesmo dia à tarde sairão de ônibus, para visitas nas experiências de resistência no campo de povos ribeirinho, quilombolas, indígenas, Escolas Famílias Agrícolas e Agricultores agroecológicos. 

Um grupo passará nas experiências dos municípios de Alta Floresta(Comunidade indígena Rio Branco e comunidades Ribeirinhas) e Rolim de Moura(Unidade de Produção camponesa de Francisco de Oliveira, Viveiro Cidadão- ECOPORÉ e debate no Campus da UNIR/Rolim de Moura), enquanto o outro grupo visitará experiências nos municípios de Ariquemes( Camponeses do Coletivo 14 de Agosto), Jaru Escola Família Agrícola Dom Antônio Possamai), Mirante da Serra(Feira de Produtos Agroecológicos da Agricultura Camponesa), Nova União( Manejo Florestal Sustentado Comunitário da Reserva Legal do Assentamento Margarida Alves) , Ouro Preto do Oeste (Pastoral da Saúde) e Vale do Paraíso ( Agroindústria para beneficiamento de polpas de frutas), finalizando o trajeto no dia 29 de outubro em Ji-Paraná/RO. 

Horta orgânica no Assentamento 14 de agosto. 

E para o encerramento , no dia 30 de outubro acontecerá uma plenária para socialização das experiências vistas na caravana e um debate com autoridades politicas federais, estaduais e municipais para discutirmos políticas públicas para a agroecologia. 

Sobre a Rede Terra Sem Males 

A Rede de Agroecologia Terra Sem Males de Rondônia é uma organização de Entidades Civil e grupos organizados de agricultores camponeses e profissionais que acreditam na agroecologia como forma mais eficiente de organizar a produção, busca fortalecimento da produção de alimentos livres de agrotóxicos, soberania alimentar das famílias e construção de uma economia solidária. 

O Objetivo da Rede é Promover um espaço de articulação entre entidades, movimentos e organismos populares e sociais, tendo como eixo a proposição, a prática e a expansão da agroecologia no estado de Rondônia, em vista da consolidação de uma política pública agroecológica no bioma amazônico. 

Propostas: Desenvolver, fortalecer e multiplicar as experiências agroecológicas no estado; Aproximar agricultores(as) e consumidores(as); Estimular o intercâmbio, o resgate e a valorização do saber popular; combate ao uso de agrotóxicos; contrapor o modelo do agronegócio; propor adequação do modelo produtivo para o bioma amazônico; demandar pesquisas em sistemas agroecológicos; resgate e multiplicação das sementes e animais crioulos; sistematização e divulgação das experiências agroecológicas do estado; promover capacitações, seminários, congressos, encontros e trocas de experiências; promover estratégias de comercialização de produtos agroecológicos( cestas, vendas diretas e feiras); propor a criação do conselho estadual de agroecologia; certificação participativa das unidades rurais; propor leis municipais de agroecologia; promover interações das atividades das instituições parceiras; socialização das agendas; resgate das resistências culturais; e promoção do protagonismo do Jovem no campo. 

Nossas bandeiras de lutas são: 
Agroecologia: 
o Politicas públicas municipais/Estaduais e Federais; 
Economia Solidária; 
Certificação Participativa; 
Saúde Alternativa; 
Educação do Campo; e 
Cooperativismo/Associativismo. 
Entre instituições, organismos e grupos a Rede de agroecologia é composta por 18(dezoito) componentes que em suas atividades promovem e difundem a agroecologia no estado. 


Fonte: Coordenação da Rede de Agroecologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.