sexta-feira, 1 de maio de 2015

ABRIL VERMELHO: MST de Rondônia na luta por terras e garantia de direitos


Acontece por todo país, a Jornada Nacional de Lutas do MST, durante o “Abril Vermelho”, que rememora todos e todas que tombaram no Massacre de El Dourado dos Carajás (PA) e de Corumbiara (RO). Neste ano, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, trazem as ruas a Luta por Reforma Agrária Popular, contra o PL 4330 das terceirizações, contra a redução da maioridade penal, e em repúdio a não obrigatoriedade de rotulagem identificando alimentos transgênicos, e em apoio aos trabalhadores da educação, em greve.

As manifestações buscam dialogar com a sociedade civil, em apoio a Reforma Agrária Popular e contra o Agronegócio. Em Rondônia, durante toda a semana, realizou-se a Jornada Universitária, na UNIR, campus de Ariquemes, onde foram discutidos temas como: organização produtiva e agroecologia; desafios da Educação do Campo em Rondônia. Recheados de espaços de rodas de conversas com militantes dos movimentos sociais da Via Campesina.

Dialogando com a Jornada de Luta, no dia 30 de Abril de 2015, as 9:00 horas, iniciou-se Audiência com o INCRA em Ariquemes, com as seguintes pautas em discussão: o assentamento de todas as famílias acampadas, em 2015; a implantação e execução de crédito para habitação (construção e reforma).


Enquanto a Audiência ocorria, centenas de sem terra, assentados e acampados, se puseram em marcha. A concentração saiu do Acampamento Hugo Chávez, hoje com cerca de 200 famílias acampadas, foi criado no 8 de julho de 2013, as margens da RO 140, km 04, trecho que liga a BR 364 ao município de Cacaulândia.

O grupo marchou pela Rodovia 140, adentrando a BR 364, sentido Jaru, de forma organizada e pacífica, exigindo que fossem negociadas e encaminhadas as pautas que estavam sendo discutidas em audiência com o INCRA, e reforçando outras tantas, já discutidas em diversos espaços, como a Educação do Campo: contra o fechamento de Escolas no campo, e pela construção de escolas onde foram levantadas as demandas.

A BR 364 ficou trancada por horas neste 30 de abril, nas proximidades de um dos maiores latifúndios de Rondônia, a Fazenda Nova Vida. Seguiu-se o engarrafamento de carros, enquanto as pautas dos trabalhadores (as) eram negociadas. Somente quando o INCRA, através do Superintendente Luiz Flávio, assumiu compromissos referente a estas, e se dispôs a ir até o acampamento Hugo Chávez, repassar para todo o grupo os compromissos e encaminhamentos que serão tomados referente as pautas levantadas, é que a BR 364 foi liberada.

A Caminhada deste povo, é a caminhada por Terra, Reforma Agrária Popular urgente e necessária no nosso país.

A Jornada continua neste 1º de maio em todo o país, contra os retrocessos nas garantias e direitos sociais, conquistados com luta, sangue e suor de trabalhadores e trabalhadoras.

Lutar! Construir Reforma Agrária Popular!


Liliana Won Ancken
Agente da CPT/RO - Campanha "De Olho Aberto Para Não Virar Escravo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.