sábado, 4 de abril de 2015

Operação do Ibama combate exploração ilegal de madeiras na Terra Indígena Kaxarari

Manaus – Na última terça-feira (31/03), fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em ação de fiscalização da Operação Toruk, de combate ao desmatamento ilegal, realizaram a apreensão de um caminhão toreiro, 18 toras de madeira (cem metros cúbicos) e cem litros de combustíveis (gasolina e óleo diesel) na Terra Indígena (TI) Kaxarari, na fronteira entre os estados do Amazonas e de Rondônia.
A TI Kaxarari é alvo constante de invasão de madeireiros, que exploram ilegalmente madeiras nobres como ipê, angelim, muiracatiara, entre outras. Ao perceber a chegada da equipe de fiscalização, os madeireiros fugiram para a floresta. No caminhão, havia plaquetas utilizadas para identificar tocos e toras de áreas de planos de manejo florestal, o que indica haver um esquema de “esquentamento” das madeiras provenientes da TI, que eram encaminhadas às serrarias da região. O caminhão toreiro foi queimado para impedir a continuação da exploração madeireira ilegal numa área de aproximadamente 3.000 hectares.
O infrator já foi identificado e foi multado em R$ 17 milhões. Ele também responderá criminalmente à Justiça Federal por invasão de terra indígena e exploração ilegal de madeira. As toras serão doadas aos indígenas das aldeais Pedreira e Paxiúba, que as utilizarão para melhoria de suas moradias e construção de escolas e postos de saúde. A área de exploração ilegal foi embargada e continuará sob monitoramento do Ibama.
A Operação Toruk está sendo realizada desde 16 de março nos municípios de Boca do Acre e Lábrea, no Amazonas, e conta com apoio do Batalhão Ambiental da Polícia do Amazonas. Até o momento, os fiscais já vistoriaram 53 áreas com indicativos de desmatamento recente, totalizando 2.980 hectares, o que equivale a mais de dois mil campos de futebol. Também, foram vistoriadas 27 áreas embargadas anteriormente e lavrados 12 autos de infração, com aplicação de R$ 20 milhões em multas.
Foto: Rodrigo Frazão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.