quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Debate na UNIR de Porto Velho sobre prisões e criminalização da luta popular


No próximo dia 26 de fevereiro ocorrerá o Debate: “Prisões políticas e criminalização da luta popular”, na Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Campus José Ribeiro Filho, no Auditório da UAB. A proposta do debate é aproximar o espaço acadêmico das lutas sociais que tiveram seu ápice nas jornadas de 2013 e 2014 que culminaram com dezenas de prisões políticas nos grandes centros urbanos.
O objetivo é debater com os movimentos e instituições sociais sobre a criminalização da luta popular no Brasil e as prisões políticas na atualidade. É uma temática polêmica que remete ao processo de repressão do Estado às lutas sociais por direitos fundamentais e às campanhas para liberdade de camponeses, estudantes, operários e indígenas presos devido a participação em manifestações e outras lutas populares que vem ocorrendo no campo e na cidade nos últimos anos. Em Rondônia há denúncias de prisões políticas de camponeses e operários.
O debate será uma atividade da Disciplina Educação e Movimentos Sociais do Programa de Mestrado em Educação- PPGE da Universidade Federal de Rondônia ministrada pela Profª Drª Marilsa Miranda de Souza, em parceria com o Centro de Estudos Marxistas em Educação e História na Amazônia – CEMEHIA/UNIR, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO, a Associação Brasileira dos Advogados do Povo – ABRAPO e outras organizações classistas e populares.
O evento ocorrerá com duas mesas: uma as 14:00 e outra as 19:00. Confirmaram presença no debate o Procurador da República Raphael Luís Pereira Bevilaqua; o advogado Gustavo Dandolini, representando a Comissão Justiça e Paz da Diocese de Porto Velho (CJP); a advogada da LCP, Lenir Coelho; representantes de movimentos sociais e estudantis; além da representação de professores da UNIR e do IFRO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.