segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Começou a segunda alagação das Usinas do Madeira


Jirau já inunda a 7ª Linha do Ribeirão, no Rio Araras, em Nova Mamoré. A ponte do rio Araras foi a primeira que alagou em 2014. Foto Marcia Vargas.

02.02.2015 - FALTA POUCO MAIS DE 40 CM PARA BR 364, NA REGIÃO DE MUTUM-PARANÁ, SER INUNDADA.
Os problemas ocasionados pela elevação das águas do Madeira já começam a aparecer. A travessia pela balsa está mais demorada que o esperado.
 Sentinela da Fronteira.

riomadeisubiu

Aumento do nível do rio Madeira preocupa moradores do Acre e Rondônia.
A água do rio Madeira já ultrapassou o nível de alerta e a qualquer momento pode inundar a BR-364, deixando distritos de Rondônia e Acre isolados por vias terrestres. 27/01/2015 Noticias R7

2.02.2015 Ato público dos trabalhadores do transporte contra alagamentos da BR-364 atrasa obra de Jirau por duas horas. Temerosos de que este ano aconteça novamente interdições da BR-364, no trecho que liga Porto Velho a Rio Branco, que em 2014 causou grandes prejuízos para o setor do transporte e provocou centenas de demissões, os trabalhadores do transporte realizaram um ato público na manhã desta segunda-feira, das 5h30 às 73h0, na entrada da Usina de Jirau, que resultou no retardamento da entrada dos trabalhadores no canteiro de obras por duas horas.

(...) O sindicalista indignado ressaltou que "aqui as nossas UHE’S Santo Antônio e Jirau deixaram uma Nova Mutum e Jacy Paraná isoladas nas enchentes ocasionadas por elas. Se forem abertas hoje as comportas Porto Velho a Calama ficam alagadas, se deixarem fechadas isola de Jacy a Guajará-Mirim estendendo-se ao Estado vizinho Acre".




O Espetacular Rio Madeira ameaça outra cheia.
Hoje, passando na altura do quilômetro 130, da BR-364, sentido Rio Branco, dá para ver que as águas de um afluente do Madeira está 25 centímetros para cobrir o asfalto da BR.
Porto Velho - Rondônia. 30/01/2015 Ocampo




Famílias são retiradas de casas já atingidas pela cheia, em Porto Velho
Três famílias do bairro Nacional foram levadas para casas de parentes.
Novos atingidos não devem ir para escolas ou barracas, diz Defesa Civil.
Casas do bairro Nacional começam a ser atingidas pelo Rio Madeira, em Porto Velho (Foto: Jairo Barbosa/Arquivo Pessoal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.