quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Camponeses fecham Br 421 em manifestação contra desaparecimento de sem terra


Luiz Carlos da Silva (Foto: Eliete Marques/G1)
Camponeses do acampamento Elcio  Machado da região de Monte Negro ocuparam a BR-421 em protesto contra desaparecimento de Luis Carlos da Silva, 38 anos, membro do acampamento.

A manifestação aconteceu na segunda feira, 01/12, depois do sumiço de um camponês desde a ultima sexta feira, 28/11. No final do dia, o camponês não retornou para a sua casa e os familiares foram procurar na propriedade do camponês, pressupondo que o mesmo pudesse ter sofrido um acidente, encontraram no local de trabalho do camponês: a moto, o motosserra, seus documentos pessoais jogados e pegadas de mais  pessoas, o que leva os camponeses acreditarem que o mesmo foi retirado do local sob ameaça. Os familiares afirmaram ainda que tiveram dificuldade de registrar o Boletim de Ocorrência, registrando a mesma na DP/Buritis: 9121-2013. No sábado, a patrulha rural da Policia Militar fez uma busca superficial na área, não adentraram nas fazendas da região, não encontrando o camponês.


Amigos e familiares do desaparecido resolveram fechar a BR 421, na altura de Monte Negro/RO, na segunda-feira, como forma de chamar a atenção para o desaparecimento do camponês.
Os familiares foram convocados para comparecer no Quartel da Polícia Militar (7º Batalhão da PM de Ariquemes) para prestarem maiores esclarecimentos. A advogada popular da RENAP, Lenir Correia, da equipe de assessoria jurídica da CPT, esteve no local e acompanhou os depoimentos dos familiares e a manifestação dos comandantes Vasconcelos e Campos, que informaram que haviam esgotados todas as ações de busca pela PM, que era necessário uma determinação da Delegacia para fazerem qualquer ato na região e que se possível, era para os próprios camponeses que estavam bloqueando a BR 421 fazerem a busca na mata, apesar dos argumentos de que há registro de violência e armamento na região.
Os camponeses se comprometeram em não obstruir a passagem de ambulâncias e pessoas que precisassem de cuidados médicos e disseram ao Delegado que iriam continuar fazendo o bloqueio até que se obtivesse notícias do camponês desaparecido ou que uma equipe de busca chegasse na área e efetuasse uma busca mais completa.
Alguns dos manifestantes  relataram atos violentos praticados por homens armados à mando dos fazendeiros da região, mas, o desaparecimento do camponês que nunca se envolveu em qualquer situação de conflito agrário, pai de família, homem evangélico e pacato.
Os camponeses afirmam  que a região  é uma área de constantes conflitos agrários, devido segundo eles, serem  terras públicas, neste caso, se faz necessário que o INCRA e o Terra Legal tomem as providências cabíveis para destinar essas áreas para os Projetos de Assentamentos. 



Segundo o G1 a BR 421 foi desbloqueada após 14 horas de protesto em acordo com a Polícia Civil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.