quarta-feira, 30 de julho de 2014

Violência em acampamento de camponeses de Monte Negro, Rondônia.

Atualizado 3/8/14 
Camponeses baleados.
Conforme informação recebida de assessoria jurídica do Acampamento Monte Verde indivíduos armados terça feira dia 29 de Julho de 2014 ás 12 h. balearam camponeses do acampamento situado no município de Monte Negro, em Rondônia. Segundo as informações policiais militares estão ilegalmente trabalhando de seguranças do latifundiário nadir Jordão dos Reis e atirando contra o acampamento monte verde no município de Monte Negro- RO. As últimas informações é que teria três camponeses baleados.
A CPT RO pediu intervenção da Secretaria de Segurança impedindo a atuação de mílicias armadas ao serviço do latifundiário, investigação da corregidoria da Polícia Militar de Rondônia e do MP de Buritis.

Área com mandato de reintegração de posse.
No mesmo dia 29 de Julho de 2014 o juiz Adip Chaim Elias Homsi Neto da 2ª Vara Cível de Ariquemes mandou cumprir ordem de reintegração de posse no local, atendendo solicitação de Ana M. Holanda Filha, Jordão dos Reis e outro.

Policias Militares já condenados por tortura estariam "fazendo bico" no local.
No local estariam presentes dois policiais militares de Buritis conhecidos por Edelvan, cognominado Zeca Urubu, Fonseca e Jean que estariam no local "fazendo bico" para o latifundiário Nadir Jordão dos Reis. Segundo os acampados os Policiais Militares envolvidos no incidente seriam os mesmos PMs que foram condenados por práticas de tortura na Comarca de Buritis o passado dia 18 de junho de 2014. Segundo informação do Ministério Público de Rondônia, conforme a sentença, os policiais deveriam ter passado imediatamente a desenvolver funções internas, sendo afastados do serviço externo e tendo as armas recolhidas pelo Comando da Polícia Militar de Buritis (autos nº 0003343-69.2011.8.22.0021). Na mesma comarca, no mês anterior, outros policiais militares de Buritis já haviam sido condenados por crime de tortura à pena de 02 anos e 06 meses de reclusão em regime inicialmente fechado (autos nº 0000795-71.2011.8.22.0021).

Carro da fazenda emboscada.
Segundo outras informações e fotografia divulgadas na região dois trabalhadores da Fazenda Padre Cícero que estavam dentro de uma caminhonete Hilux na tarde do mesmo dia 29 de julho de 2014 foram vítimas de uma emboscada e o veículo foi atingido por disparos de arma de fogo na porta do lado direito. Segundo a informação os trabalhadores tinham ido no local apenas "para olhar o gado da fazenda". 


A Ouvidoria Agrária tinha pedido medidas da polícia civil agrária no local.
Os relatos de violência aconteceram dois dias depois do Ouvidor Agrário Nacional, Desembargador Gercino José da Silva Filho ter solicitado ao Delgado de Polícia Civil Agrário Vinícius Lucena Tavares Bastos, de Ariquemes, de "comparecer ao acampamento denominado Monte Verde, situado na fazenda Padre Cícero, lote 04, gleba 09, linha 40, no setor Santa Cruz, situada em Monte Negro, com a finalidade de adotar medidas para manter a convivência pacifica no local", conforme compromiso assumido na reunião da Comissão Nacional de Combate à Violência do em Porto Velho, na sede do Incra, no dia 22 de julho de 2014.

Homens e mulheres presos no mesmo acampamento não tinham armas.
Segundo as informações divulgadas por fontes próximas aos acampados divulgadas por NOTÍCIAS DA TERRA, onze homens e mulheres foram presos no mesmo acampamento em Monte Negro em 11 de julho de 2014 acusados injustamente de porte de armas. Eles relataram no local atuação de jagunços armados junto a polícia, agressões e maus tratos, desmentindo a existência de arsenal no local, que seria prova forjada para inculpar os mesmos. Em 16/7/14 foi solicitado habeas corpus de cinco homens e três mulheres que permaneciam presos.

Fazenda teria sido incendiada em novembro de 2013.
Segundo o site G1 em 09 de novmebro de 2013 quatro casas foram incendiadas na fazenda Padre Cícero, localizada na Linha C-35, zona rural de Monte Negro (RO), de acordo com a Polícia Militar (PM). Os funcionários disseram a PM, que cerca de 15 homens, encapuzados e armados, invadiram a propriedade e atearam fogo nas residências, com todos os objetos. 

Fazenda Pe Cícero. foto noticiadaki
Segundo a mesma informação, ao chegar ao local, além das casas queimadas, os policiais constataram marcas de tiros em paredes, e escutaram estampidos de fogos de artifícios, avisando da presença militar. O grupo de militares foi até a fundiária da fazenda onde há um mês um grupo de 20 pessoas invadiu e construiu barracos, porém, o acampamento estava vazio.

MP realizou reunião com secretário de segurança para tratar da segurança pública de Buritis e região. O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça de Buritis, após instaurar inquéritos civis objetivando averiguar a falta de estrutura, principalmente falta de servidores, nas polícias Civil e Militar da Comarca de Buritis, realizou na manhã na quarta-feira, dia 30 de julho, reunião com o secretário de Segurança do Estado de Rondônia, Antônio Carlos dos Reis, o Delegado de Polícia, Dr. Rodrigo Spiça, o Comandante da Polícia Militar de Ariquemes, tenente Coronel Vasconcelos, Capitão Aureo, Capitão Faria, e o Comandante de Buitis Tenente Terres, para tratar dos principais problemas na Segurança Pública de Buritis e Campo Novo de Rondônia.  
A reunião, coordenada pela Promotora de Justiça Marlúcia Chianca de Morais, dentre as várias questões, debateu a inexistência de perícia criminal, a escassez de servidores, a falta de logística, além de outros problemas, ocasionados pela ausência estatal de investimentos em segurança pública nos últimos anos. Ao final o secretário comprometeu-se em realizar um estudo, objetivando solucionar alguns dos problemas, pois as ações a serem implementadas não dependem de vontade política, mas vinculam-se a fatores externos, como a finalização do concurso público em andamento. (Fonte tudorondonia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.