domingo, 13 de julho de 2014

PM prende 11 camponeses e 2 crianças em acampamento de sem terra

Feira de produtos de camponeses da LCP. foto: gentedeopinião
Segundo informações recebidas de fontes do Acampamento Monte Verde, no município de Monte Negro em Rondônia, 11 camponeses foram presos pela Polícia Militar. Eles ocupam uma área de terra situada na Linha C-38, km. 38 PA Rio Alto / TD Ubirajara. 
Na noite do dia 11 de julho de 2014 a polícia militar prendeu os acampados chamados Welligton, Jean, Osiel, Sebastião, Robson, Cristiane, Rosely, Maria, Jociely, Deusira e Thaís que estavam na área de atuação do Acampamento Monte Verde e se distanciaram em direção ao pasto da denominada Fazenda Padre Cícero. Segundo as informações dos acampados eles foram agredidos por policiais e há a presença de 02 (duas) crianças que estavam com suas respectivas mães. 
A área da Fazenda Padre Cícero, segundo declaração de posse 22/09 emitida pelo INCRA é apenas de 500 hectares, porém em realidade a terra pretendida pela mesma ultrapassa os 1.600 alqueires, sendo a maior parte terras da União. Apesar disso a Justiça Estadual da Comarca de Ariquemes concedeu ação de reintegração de posse movida por Nadir Jordão e outros em tramite na segunda vara cível da comarca de Ariquemes, RO.
As famílias acampadas pediram a regularização fundiária da terra ocupada para reforma agrária em Brasília-DF em requerimento protocolado no dia 13 de junho de 2014. Várias reuniões já foram realizadas e com pedidos ao INCRA para que intervenha para suspender a desocupação forçada da área. 
A Ouvidoria Agrária Nacional encaminhou oficios para Defensoria Publica Agrária de Rondônia pedindo intervenção no feito. 
Segundon informações publicadas pelo jornal  Resistência Camponesa, em outubro de 2013 camponeses do Acampamento Monte Verde já estavam vivendo dias de tensão após a juíza Elisângela Nogueira ter uma ordem de reintegração de posse contra os camponeses em favor do latifundiário Nadir Jordão dos Reis.
“Posse esquentada” é o nome dado à tentativa de legalização de terras griladas na Amazônia. Ela ocorre há décadas e foi novamente denunciada hoje pela Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental (LCP). 
"O latifúndio conhecido como fazenda do Jordão é de conhecimento publico que é uma área de terras da união que foi destinada para a reforma agrária há muitos anos e que os documentos que o sr. Jordão usa para fazer a reintegração de posse pertence na verdade a outro latifúndio conhecido como fazenda do Vilmar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.