terça-feira, 8 de julho de 2014

A REVOLTA DAS AMÉLIAS: ENCONTROS DE EDUCAÇÃO JURÍDICA POPULAR PARA O APODERAMENTO DAS MULHERES DO MPA DE TARILÂNDIA

 

A assessora jurídica da CPT/RO Lenir Correia Coelho realizou o primeiro encontro do projeto: “A Revolta das Amélias”  no dia 30 de junho de 2014, no Barracão do MPA de Tarilândia e teve como temática: “Nossa identidade, nosso jeito, quem somos?”. Participaram, aproximadamente, 40 camponesas, que vieram das mais diversas linhas rurais do Distrito de Tarilândia, para isso utilizaram dos mais diversos tipos de transporte: ônibus escolar, motos, carro do leiteiro e até de muletas.
O encontro iniciou com a apresentação da estrutura dos encontros; a participação; a divisão de tarefas daquele e dos próximos encontros: alimentação, ornamentação, acolhida. Também se fez o resgate histórico do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) no Brasil e como se deu a construção do mesmo no Estado de Rondônia.
Coletivamente foi estudado os seguintes conteúdos jurídicos: nome, sobrenome, prenome; estado civil; regime matrimonial; guarda e responsabilidade dos filhos; alimentos. Oportunidade em que as camponesas contaram suas histórias, seus sonhos e suas  aprendizagens sobre os conteúdos.
De forma dialógica foi esclarecido sobre cada conteúdo jurídico, oportunizando o trabalho em grupo e a reflexão coletiva sobre o mesmo. O conteúdo que mais chamou a atenção foi sobre o regime matrimonial, onde muitas camponesas afirmaram que nunca haviam observado suas certidões de casamento para ver o regime em que casaram; também manifestaram interesse sobre a questão da guarda e responsabilidade dos filhos, onde apontaram as dificuldades de criar os filhos nos tempos atuais e as diversas restrições no processo educacional dos pais.
Ao término do encontro foi feita uma avaliação oral, onde as participantes destacaram a importância do mesmo, apontaram as aprendizagens e com abraços se comprometeram em voltar no dia 16 de julho para o próximo encontro: “Por onde anda a nossa aposentadoria?”  
O projeto que atende as exigências do Curso: Especialização de Direitos Sociais do Campo da UFG é a oportunidade de contribuir diretamente com a formação e informação das camponesas. É uma intervenção direta da Assessoria Jurídica Popular que através da educação popular se insere no campo para contribuir e instrumentalizar as camponesas em suas lutas cotidianas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.