sexta-feira, 9 de maio de 2014

LANÇAMENTO DO CADERNO DE CONFLITO NO CAMPO 2013




MEMÓRIA, REBELDIA E ESPERANÇA DOS POBRES DO CAMPO!

A CPT REGIONAL RONDÔNIA CONVIDA
LANÇAMENTO DO CADERNO DE CONFLITOS NO CAMPO BRASIL 2013.
DIA 13 DE MAIO DE 2014 AS 9:00 HORAS


 LOCAL: Cacoal Centro De Formação Pe. Ezequiel Ramin Rua Floriano Peixoto, Nº 2436 .




O Caderno de Conflitos no Campo 2013, fruto do registro e documento dos acontecimentos no campo no Brasil, é um dos retratos mais completos da realidade agrária do país. Após lançamento a nível nacional, a CPT Regional Rondônia promove o lançamento do caderno também no estado, buscando versar sobre os pontos de destaque em nosso estado e região.
Com considerável decréscimo em números registrados quanto a violência no campo, Rondônia segue sendo uma área desafiadora quando se fala em Conflitos Agrários, são 40 ocorrências de conflitos registradas, envolvendo cerca de 2687 pessoas. Com menos ocorrência de morte por conflitos agrários, menor número de despejos por reintegração de posse, a violência segue acontecendo e o homem e a mulher lutam pela terra, e resistem embaixo da lona preta, em alguns casos sob ameaça de morte e de prisão.
O conflito pelas águas, registrado desde 2012, atingindo diretamente os moradores do PA Joana Darc em Porto Velho, em razão da construção das Usinas de Girau e Santo Antônio, no início de 2014 se agrava avançando também sobre as comunidades urbanas e se estendendo a outros municípios.
A violência contra os povos indígenas, destaque em nível nacional, com 15 mortes, não foi tão latente, nem foi registrado morte de indígena por conflito agrário no estado. Porém a nível Regional tivemos no sul do Amazonas o caso dos índios Tenharin que foram notícia em rede nacional, com toda uma campanha midiática que tentou de todo modo criminalizar os povos indígenas e suas lutas justas no país. No estado o CIMI segue ao lado dos indígenas lutando pela efetivação de direitos a tanto tempo negados.
Com relação ao Trabalho Análogo a de Escravo, ocorreram dois resgates no estado no ano de 2013, nos municípios de Ariquemes e Chupinguaia, envolvendo 13 trabalhadores libertos. A CPT realizando a campanha de prevenção e combate ao Trabalho Escravo “De Olho Aberto Para Não Virar Escravo”, quer evidenciar o problema para além dos números, com a realidade de vulnerabilidade enfrentada por muitos trabalhadores, e por vezes o desconhecimento de seus direitos ou a falta de opção.
Não deixaram de acontecer ocupações de terra, 5 no total, e foi erguido o Acampamento Hugo Chavez, do MST em Cacaulândia.
Com a presença de representantes dos movimentos sociais do campo de Rondônia, e os atores principais do que é relatado no Caderno de Conflitos, a CPT/RO pretende mais do que lançar mais um livro, dar voz aqueles que vivem e enfrentam o que é relatado, trazendo por eles mesmos a realidade agrária do estado. Para tanto trataremos dos seguintes temas: A CPT e seu papel histórico ao lado dos camponeses; Um Olhar sobre a Amazônia; Questão indígena; Trabalho Escravo; Conflitos por água; Mortes no campo; Conflitos por terra e violência no campo; Os movimentos sociais, momentos e ações de destaque.
Neste ato, fazemos MEMÓRIA aos momentos e fatos que destacamos em 2013, e seguimos com a REBELDIA E ESPERANÇA DOS POBRES DO CAMPO, rumo ao IV CONGRESSO NACIONAL DA CPT, que será realizado em Porto Velho em 2015. E diante dessa realidade ousamos, dizer, gritar: FAZ ESCURO, MAS EU CANTO!  E que este canto ecoe em toda Rondônia, no país e no mundo, por um mundo onde o ser humano, terra, trabalho e água não sejam tratados como mercadoria.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.