quinta-feira, 8 de maio de 2014

Jirau fecha quatro comportas e BR 364 alaga novamente.

BR 364 alagada novamente pela usina de Jirau. foto: rondoniaovivo
Mais uma vez a BR 364 submerge nas águas do rio Madeira deixando motoristas preocupados com a possibilidade de nova interdição. Na manhã desta quarta-feira (7) na altura do Km 871, nas proximidades da ‘Velha Mutum’, uma lamina d’água cobriu a rodovia federal com altura aproximada de 20cm.
A equipe do Rondoniaovivo foi até local e encontrou um grupo de colaboradores da Tractebel, empresa sub-contratada pela Usina de Jirau, que estavam fazendo medições topográficas no ponto onde o lago avançou sobre a estrada.
Segundo um dos funcionários, eles fazem as medições diárias neste ponto e detectaram que desde segunda-feira começou novamente a subir. Outro barrageiro, afirmou que a UHE Jirau está com quatro comportas fechadas e poderia também ser um dos fatores que levou a cheia repentina.
Os veículos pequenos passam sem dificuldade pelo ponto alagado. A previsão é que se estabilize, não descartando-se a possibilidade de falhas nos cálculos de vazão do lago de Jirau como causa principal. Outro ponto da Br364, no Km 869, o lago também já chegou ao acostamento da rodovia.
De acordo com professor da Unir Luis Fernando Novoa Garzon em artigo recentemente publicado afirma ‘É preciso não escamotear: o problema nunca foi a água que vem pelo rio, mas a que ficou no meio do caminho por conta de dois reservatórios concebidos e operados sem estudos hidrosedimentológicos suficientes e que abrangessem a bacia do Rio Madeira'.
‘A viabilidade das duas hidrelétricas está colocada em xeque depois que a ESBR e a SAE provaram que não conseguem lidar com a vazão dos rios amazônicos e sua extrema variabilidade’. (Leia aqui)

Novo alagamento na BR 425, na ponte do Araras, devido ao fechamento das comportas de Jirau. foto rondoniagora
Segundo Rondoniagora, as aguas subiram também na BR 425 na ponte do Rio Araras, ameaçando isolar novamente Guajará Mirim e Nova Mamoré: "Na 425 o tráfego de veículos pequenos já está prejudicado porque a lâmina d’água atingiu 50 cm sobre as tabuas da ponte no rio Arara. As informações foram repassadas na noite de ontem, terça feira (6), pelo inspetor da PRF, João Bosco Ribeiro, que passou o dia vistoriando os dois locais. Segundo Ribeiro, na estrada que liga a capital a Guajará Mirim está a situação mais complicada. Ele relatou que existem várias pranchas soltas sobre a ponte ocasionando a quebra de veículos. Um caminhão está parado no local com, um peça quebrada. Ainda de acordo com o inspetor, a fila de carros aguardando a vez para seguir viagem era de aproximadamente 30 caminhões nos dois sentidos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.