terça-feira, 18 de março de 2014

Pressionada, Justiça Federal autoriza abertura de estrada pelo Parque



 Atualizada 14,57 h. Segundo informações do Diário da Amazônia de 18 de março de 2014 foi autorizada a abertura da "Estrada Parque" pelo TRF da Primeira Região. A decisão está restrita a abertura da estrada para o período de 'emergência'.
Mesmo provisória, a abertura da estrada por dentro do Parque de Guajará Mirim é mais um impacto ambiental não previsto pela construção das Usinas do Madeira.
Cogitada como paliação ao isolamento provocado pelo alagamento das estradas BR 425 desde o dia 12 de fevereiro de 2012 e BR 364, além da cota prevista pelos reservatórios da UHE de Jirau e da UHE de Santo Antônio tem provocado dificuldades e isolamento para a população de Guajará Mirim e Nova Mamoré, agravada pelos bloqueios da Linha D na altura da Linha 28, distrito de Nova Dimensaõ, dos moradores que pressionaram pela abertura da estrada BR 421 pelo local, modificando seu planejamento original.  
A pressão foi para demover as decisões da Justiça Federal, que faz vinte anos interdita a abertura da estrada pela falta dos necessários estudos ambientais e elaboração do EIA RIMA. Assim mais uma estrada é aberta sem as necessárias garantias e precauções ambientais, numa das áreas que tem sofrido mais invasões (Área Indígena Karipuna, Flona de Bom Futuro, Resex da Jaci Paraná e Parque de Guajará Mirim) pela grilagem de terras. 

Mentiras e ilegalidades.
A cheia do Madeira e alagação não prevista da estrada na área dos reservatórios das usinas tem demostrado a insuficiência dos estudos ambientais das usinas e o problema tem sido usado politicamente para colocar a população, não contra as barragens que tem provocado o problema, mais contra o MPF que somente fazia a sua obrigação: Exigir o cumprimento da legalidade existente, como foi acatado pela Justiça Federal.
Não houve esforços para Guajará Mirim por via fluvial desde Costa Marques e  melhorar a rota existente por União Bandeirantes, que complicou após alagamento da estrada em jaci Paraná, no reservatório de Santo Antônio. Ainda caminhões que estavam abastecendo Guajará por esta rota sofreram dois bloqueios complicando mais a situação, tudo para insistir que a abertura da estrada pelo Parque era a única alternativa. 

Abertura da estrada pelo Parque contrariando todas as anteriores decisões judiciais é mais um impacto não previsto das Usinas do Madeira.

Para os agricultores ligados a Fetagro a confirmação da abertura imediata da estrada de acesso à Nova Mamoré e Guajará-Mirim (BR-421), através de uma área de reserva florestal, tem sido bastante comemorada por moradores da região e também pela FETAGRO e pelo STTR de Nova Mamoré e Guajará-Mirim.
Mapa publicado pela Fetagro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.