segunda-feira, 31 de março de 2014

Agricultores atingidos pelas Usinas do Madeira estão acampados no INCRA

Agricultores do PA Joana d'Arc reunidos no INCRA. foto cut
AGRICULTORES DO JOANA D'ARC ESTÃO ACAMPADOS NO INCRA
Mais de duzentas famílias do assentamento Joana D'arc estão acampadas no INCRA e exigem uma solução

Desde a tarde da última sexta-feira (28) aproximadamente duzentas e cinquenta famílias de agricultores do assentamento Joana D'arc estão acampadas dentro das instalações do INCRA em Porto Velho, cobrando uma resposta à pauta de reivindicações protocolada no último dia 26 de fevereiro, na superintendência do órgão. Os agricultores reivindicam o retorno do pagamento da ajuda de custo no valor de R$ 874,12 para as 286 famílias cadastradas e que esse pagamento continue até que a situação seja resolvida definitivamente; e que o processo de solução seja conduzido pelo INCRA com a participação de representantes do Joana D'arc e do sindicato; além de acompanhamento dos Ministérios Público Federal e Estadual.

A principal reivindicação das famílias acampadas é a de que o INCRA, que já tinha destinado cerca de R$ 24 milhões para um novo assentamento, viabilize recursos para indenizar todas as 286 famílias. Para viabilizar esta e as demais reivindicações, os agricultores estão exigindo uma nova reunião em Brasília, com todos os órgãos competentes, as lideranças do Joana D'arc e a Santo Antônio Energia S/A para um acordo final sobre esta questão. Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira (31) na superintendência do INCRA, com a participação de representantes da OAB, CUT, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STTR), lideranças do Joana D'arc e o coordenador da Defesa Civil da Capital, foi oferecido alojamento nos abrigos construídos para os atingidos de cheia do Rio Madeira.

Durante a reunião foi informado pelo coordenador da Defesa Civil, coronel José Pimentel, que já foi feito um levantamento no Joana D'arc e identificadas aproximadamente 40 famílias em áreas de grande risco, as quais serão removidas ainda esta semana. O superintendente do INCRA Flávio Ribeiro informou que estará viajando à Brasília ainda nesta segunda-feira, para levar as reivindicações dos acampados e para solicitar a reunião exigida pelos agricultores. Após o fim da reunião, as lideranças fizeram uma assembléia com todas as famílias acampadas, relataram o resultado desta primeira negociação e apresentaram a oferta de abrigo feita pela Defesa Civil, mas opor unanimidade os agricultores rejeitaram e decidiram permanecer acampados dentro do INCRA.

No documento protocolado no dia 26/02 as lideranças do Joana D'arc relatam "que devido à demora a situação se assemelha a uma calamidade pública, onde todos perderam tudo o que tinham como plantios de banana, macacheira, café, fruteiras diversas, e inclusive o pasto, pois as criações começam a morrer de fome e frio em decorrência das águas represadas em função do consórcio. E em vista de tudo isso que o INCRA, em conjunto com a Santo Antônio Energia S/A pague em pecúnia a indenização a todas as 286 famílias atingidas, e que de uma vez por todas acabe com o impasse e o sofrimento destas famílias".

fonte: CUT

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.