quinta-feira, 6 de março de 2014

Acusado de desviar recursos das estradas rurais

Estrada contemplada no convênio sequer existiria.
Da Folha de Vilhena. Afastamento de Alex Testoni pode ter sido motivada por denuncias no Ministério Público

Cogitada como de caráter politico, o pedido de afastamento de Alex Testoni por seis meses da prefeitura do município de Ouro Preto do Oeste pode ter outra motivação que não a suposta pré-candidatura ao governo de Rondônia. Testoni estaria na mira do Ministério Público de Rondônia.
Em janeiro de 2014, uma denuncia protocolada na Câmara de Vereadores de Ouro Preto do Oeste e no Ministério Público de Rondônia, alegou que Testoni recebeu verba do Governo Estadual através do FITHA (Fundo para Infraestrutura de Transporte e Habitação) com a finalidade de recuperação de estradas rurais na região de Ouro Preto do Oeste.
O convênio orçado em R$ 287.990,21 (Duzentos e oitenta e sete mil, novecentos e noventa e nove reais e vinte e um centavos) teria sido licitado, empenhado e pago, porém nenhuma obra teria realizada nas estradas apontadas no projeto.
O valor do serviço foi pago a duas empresas vencedoras do certame licitatório, a Construtora MCB LTDA ME e a empresa PC Construtora de Obras LTDA.
Como a Camara de Vereadores não se pronunciou, o Ministério Público foi provocado através de denuncias por escrito e oitivas dos denunciantes no inicio do mês de fevereiro e complicaram a vida de Alex Testoni.
Uma dessas denuncias chama atenção pelo fato de um trabalhador que utiliza diariamente as linhas da RO-475, que supostamente teriam recebido as melhorias provenientes do FITHA em Ouro Preto, garantir que sequer existiu obra alguma no local e que a comunidade continua com os mesmos problemas de acessibilidade, mesmo com os mais de duzentos mil reais investidos.
“Declaro para os devidos fins que o trecho de 31,80 Km de estradas que é um ponto de ligação da linha 203 a 206 e RO 475 não existe apenas um trecho composto de dois travessões irregulares entre as linhas 203/204 e também 204/205, observando que esses dois travessões como chamados no convênio já foram contemplados em um tamanho de 4,10 Km e 4,40 Km e não existe travessão de ligação das linhas 205/206 nas especificações do convênio firmado, e que as demais atividades do convênio não foram executadas…”, afirmou o denunciante ao MPE.
As denuncias estão sendo analisadas pelo Ministério Público e caso sejam confirmadas o prefeito de Ouro Preto do Oeste responderá criminalmente por desvio de dinheiro público.

Nos bastidores políticos comenta-se que o pedido de afastamento de Testoni foi motivado por medo das investigações, desta forma, afastando-se não poderia atrapalhar as apurações e também não correria o risco de sair algemado da prefeitura de Ouro Preto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.