sábado, 1 de fevereiro de 2014

Vilhena cria comissão de conciliação agrária.

A informação recolhe diversas atividades nos dias 16 e 17 de Janeiro de 2014 em Vilhena e Chupinguaia, com a superintendência do Incra, Luis Flavio Carvalho, juntamente com representantes da Central de Associações (CEAPRA), Comissão Pastoral da Terra (cpt ro), sindicato de Vilhena (STTR), Ouvidoria Agrária do Incra regional, Juiz Federal da subseção judiciaria de Vilhena e representante do mandato do Deputado Federal Padre Tom.

Comissão de conciliação foi criada
na justiça federal de Vilhena, Rondônia. foto ceapra

 Criada comissão de conciliação agrária em Vilhena.
Com a chegada do sr. Luis Flavio do Incra, juntamente com a sua equipe senhor Sergio Araújo e o senhor Erasmo Tenório, iniciou a reunião que tinha como objetivo criar uma comissão agrária de conciliação de conflitos agrários para a região do Cone Sul de Rondônia.
Iniciando com o doutor juiz federal, o superintendente fala a situação dos conflitos agrários da região. A proposta é que esta frente de trabalho de conciliação agrária esteja começando em Vilhena a partir da primeira quinzena de fevereiro, e se propõe a juntamente com o poder judiciário convidar as partes envolvidas para uma conciliação antes do julgamento final.
Presente na reunião, o prefeito de Parecis falou do processo da Associação Rio Mutum e da proposta de um acordo e que o Incra retire a ação de retomada que está travando as negociações. O Sr. Luis Flávio se dispõe em toda ação que se for necessário o Incra sair para chegar a uma solução, o órgão vai sair da ação.
Comissão de conciliação agrária reunida com juiz federal em Vilhena. Rondônia. foto ceapra

Em seguida o presidente da central de associações, Adilson Machado, fez um relato sobre os entraves no judiciário as irregularidade dos cartórios do abuso do poder publico e do poder politico, dos não cumprimentos das orientações da CPI das Grilagens, dos cancelamentos administrativo da Terra Legal e das ações de retomadas que tramita na esfera federal. Que atrás do conflito de competências se trava uma grande disputa por terras,  levando a pistolagem, gerando despejos de inúmeras famílias que ocupam estas terras públicas há vários anos.
No final o doutor juiz federal fala da importância desta reunião para o seu trabalho nos processo da sua jurisdição e se dispõe a trabalhar em parceria com os movimentos sociais, Incra, Terra Legal, Prefeitos e Governo do Estado, para tentar por fim nos conflito agrário da nossa região.
Reunião do INCRA com representantes das associações de Vilhena. Foto ceapra
Reunião de associações de Vilhena como o INCRA.
Após almoço e reunião na casa da vice-presidente do STTR Adriane na PA Águas Claras, às quinze horas houve outra reunião com os presidentes de associações locais na seda da  (Asprovera). Foi apresentado o pedido de regularização do lote 67 setor 12 em Vilhena.
Em outra reunião com o Prefeito de Vilhena Zé Rover, o mesmo oferece uma sala e parceria para a equipe de trabalho que foi formado para regularização fundiária no Cone Sul.
Almoço no PA Águas Claras. foto ceapra
Reunião com o INCRA em Chupinguaia.
No dia seguinte participamos de uma reunião na Associação Nossa Senhora Aparecida no Lote 52 setor 07 em Chupinguaia, com uma comissão formada por representantes da Ceapra, Cpt, Sttr, Seagri, Incra, Ouvidoria agrária, Terra Legal, e Prefeitura Municipal. No local o título provisório de CATP foi cancelado pelo programa Terra Legal. 

Reunião na Ass N Sra Aparecida de Chupinguaia. foto ceapra

Fonte e fotos: Ceapra/cpt ro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.