terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Contra mais uma tentativa de intimidação da CPT na Amazônia

Comissão Pastoral da Terra – Secretaria Nacional
Assessoria de Comunicação
NOTA PÚBLICA

Nota de repúdio contra mais uma tentativa de intimidação da CPT na Amazônia

A Coordenação Nacional da Comissão Pastoral da Terra, CPT, vê com muita apreensão o arrombamento e invasão da sede da CPT, em Boca do Acre, AM. Esta equipe que se situa no sul do Amazonas, por questões de proximidade geográfica e social é vinculada à CPT Acre.

No domingo, 02 de fevereiro, por uma janela arrombada a sede foi invadida. E uma desordem geral foi promovida, com documentos rasgados, materiais jogados ao chão e pisados pelos invasores. Nada foi levado, nem impressora, nem computadores, nem máquina fotográfica.

A sensação que se tem é que este é simplesmente mais um aviso, uma forma de intimidação à CPT, que tem denunciado irregularidades, sobretudo, em relação a planos de manejo florestal e ação de fazendeiros e madeireiros no estado do Acre e sul do Amazonas.

De novembro de 2011 a janeiro de 2013, a sede da CPT Regional Acre, em Rio Branco, já fora invadida por seis vezes. Valores, materiais e documentos haviam sido retirados do local. Em janeiro de 2013, as invasões aconteceram em dias consecutivos, madrugada de 21 e 22 de janeiro. Na última, somente documentos foram levados. Apesar de terem sido registrados Boletins de Ocorrência junto à polícia em cada uma das vezes, nada foi elucidado ate hoje.

Além das invasões da sede, a CPT recebeu, em 2012, ligações com ameaças aos agentes Maria Darlene Braga Martins, coordenadora na região e Cosme Capistano da Silva, da equipe de Boca do Acre, nas quais se dizia: “morreu gente no Pará e na Rondônia. (Em referência às mortes do casal José Cláudio e Maria do Espírito Santo, no Pará, e Dinho, em Rondônia). Agora vai ser no Amazonas e no Acre”.

A Coordenação Nacional repudia veementemente estas tentativas de intimidação contra seus agentes, e exige dos poderes constituídos a elucidação destes crimes. Ao mesmo tempo, expressa sua mais profunda e irrestrita solidariedade aos membros da equipe de Boca Acre e aos demais agentes do regional Acre, lembrando que, nada, nem ninguém nos poderá afastar de estar sempre ao lado dos mais pobres, dos que sofrem quotidianamente a injustiça. Tomando os devidos cuidados, como nos alerta o evangelho: “sejam prudentes, como as serpentes e simples, como as pombas” (Mt 10,16).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.