quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Santo Antônio Energia informará sobre ampliação de turbinas

Santo Antônio Energia informará  para entidades sindicais os detalhes sobre ampliação de mais seis turbinas

Jaci Paraná será mais atingida pela alagação da usina. foto mab/brasil de fato
Em reunião realizada na manhã deste sábado, no escritório da empresa em Porto Velho, entre os representantes da Santo Antonio Energia Ivan Silveira, coordenador fundiário, e Guilherme Abbad, gerente de sustentabilidade, com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Itamar Ferreira; o diretor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (FETAGRO), Ecimar Viana , e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadora Rurais (STTR) de Porto Velho, Luís Pires, foi feita uma apresentação sobre a ampliação do número de unidades geradoras da Usina de Santo Antônio no Rio Madeira, de 44 para 50 turbinas.

Na oportunidade foram feitos esclarecimentos iniciais sobre os impactos esperados; sendo que as autoridades governamentais já deram a autorização para esse aumento de capacidade de geração. Entre as várias informações disponibilizadas destacam-se a realização de uma reunião pública coordenada pelo IBAMA, no próximo dia 18/12, uma quarta-feira, no Ello Eventos, Av. Guaporé, 2365, Bairro Lagoa (Antigo Clube Forasteiro), para a qual toda a população e a sociedade civil organizada estarão sendo convidadas para participar. Com as novas seis turbinas haverá um incremento na capacidade de produção de 417,6 MW ou 13,25% a mais, totalizando 3.568 MW.

Outro aspecto ressaltado foi o de que essa produção adicional será destinada, através de uma linha de distribuição específica, principalmente, para os estados de Rondônia e Acre; haverá uma elevação da cota atual de 70,2 em relação ao nível do mar para 71, ou seja 80 centímetros a mais; o trabalho de ampliação vai acrescentar mais um ano de duração na obra, que estava com término previsto para novembro de 2015 e deverá se estender até novembro de 2016.

Os representantes da empresa informaram que atualmente 80% da energia de Rondônia e Acre já é fornecida pela Usina de Santo Antônio, estando a Termonorte com a produção praticamente parada. Na avaliação da Santo Antônio Energia os impactos sociais e ambientais não seriam muitos significativos, destacando que já foram adquiridos na primeira fase 65 hectares de áreas atingidas e para Área de Proteção Ambiental (APP), sendo que agora seriam necessários mais 1.310 hectares.

Informaram que todos os estudos dos impactos ambientais e sociais estão em andamento e serão informados ao IBAMA. Os representantes da CUT, FETAGRO e STTR manifestaram preocupação com a situação dos atingidos com a nova elevação do lago, especialmente dos assentados do Joana D’Arc. Ficou acordado que após a reunião pública do dia 18, haverá uma nova reunião da Santo Antônio Energia com estas entidades sindicais, juntamente com as lideranças do Joana D’Arc, para esclarecimento de dúvidas, preocupações e apresentação reivindicações da comunidade.

No entendimento da CUT, FETAGRO e STTR é necessário que as autoridades, principalmente do governo do Estado, da Prefeitura, Assembléia Legislativa, Câmara de Vereadores, além dos Ministérios Públicos Federal e Estadual acompanhem e analisem os estudos de impactos apresentados pela empresa; bem como, que sejam contratadas instituições independentes para fazer estudos complementares para se comprovar o impacto real dessa nova elevação do lago da Usina.

Assessoria CUT/RO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.