sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Balde Cheio para Rolim de Moura

Balde Cheio: Fundação Banco do Brasil deve apoiar novo financiamento para atender produtores de Rolim de Moura

A Fundação Banco do Brasil (FBB) deverá aprovar novo financiamento para continuar o atendimento a 84 produtores rurais de seis municípios da zona da mata de Rondônia, disse ontem (5) o deputado federal Padre Ton (PT-RO), que esteve com o presidente da instituição, José Caetano de Andrade Minchillo e diretor executivo Marcos Melo para tratar do assunto.
Estes produtores desenvolvem o projeto Balde Cheio, uma iniciativa criada por pesquisadores da Embrapa de São Paulo, que apresenta excelente resultado na produção diária de leite utilizando-se de menor área de pastagem.
Em Rondônia, segundo Padre Ton, a experiência teve início em São Felipe com duas unidades demonstrativas em 2008, com um pequeno curso de capacitação de técnicos locais. O projeto envolve hoje produtores de 23 municípios.(continua)
Em novembro do ano passado, a Fundação Banco do Brasil aprovou o projeto, mediante articulação do deputado Padre Ton, no valor de R$ 350 mil, apresentado pela Associação de Produtores Rurais de Boa Esperança (Aprube), da Linha 200, de Rolim de Moura, entidade ao qual estão vinculados os produtores.
Agora, é necessário um novo aporte de recurso, e segundo relato do presidente da Fundação Banco do Brasil Jose Caetano Andrade há grande chance do projeto ter este financiamento, que deverá ser submetido à apreciação técnica. 
Os produtores atendidos são de Rolim de Moura, São Felipe, Santa Luzia, Pimenta Bueno, Primavera de Rondônia e Parecis. De forma indireta, são 300 famílias beneficiadas. 
“Há enorme possibilidade de incluir o projeto no orçamento da Fundação. O presidente e o diretor nos recomendou que fosse dada a oportunidade para novos produtores terem acesso a esse importante programa”, diz Padre Ton.
Padre Ton lembra que, quando iniciado em Rondônia, o Balde Cheio logo trouxe resultado nas propriedades. “Uma propriedade produzia 35 litros/dia com 26 vacas em lactação na estação seca, em 20 hectares, e hoje produz 300 litros/dia em três hectares, com 33 vacas em lactação”, esclarece, complementando que o diferencial do projeto é a presença permanente de técnico para transferir tecnologias e oferecer assistência técnica aos produtores.
fonte assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.