quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Morre policial da Força Nacional na Flona Bom Futuro em Rondônia


Conflito entre policiais da Força Nacional e grileiros
na Floresta Nacional Bom Futuro (Foto: Ivon Camilo/Alerta Notícias)
Morre polícia em confronto com grileiro em reserva federal de Rondônia.
14/11/2013 Segundo Ivanete Damasceno (G1) um militar da Força Nacional que atuava em uma operação de desocupação na Floresta Nacional (Flona) do Bom Futuro, localizada próximo a Rio Pardo, distrito de Porto Velho distante cerca de 350 quilômetros, morreu na tarde desta quinta-feira (14/11/2013) durante um confronto de desocupação. As informações são da Polícia Militar de Rondônia.
O conflito começou na tarde de quarta-feira (13), quando integrantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Polícia Federal, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Força Nacional chegaram ao local. A Polícia Militar foi chamada para reforçar a situação. 

Segundo buritisonline o conflito iniciou a manhã da quarta-feira (13/11/2013), quando cerca de 300 moradores do Distrito de Rio Pardo estavam protestando contra uma operação acontecendo na Floresta Nacional do Bom Futuro, a aproximadamente 100 km de Buritis.
Morador atingido por disparo na perna.
Foto comando 190.
Durante a Operação, vários ocupantes foram presos e quando o comboio de viaturas composta por Policiais Militares e Policiais Federais estavam conduzido os detidos até a cidade de Buritis, se depararam com uma ponte incendiada, na Linha 06. 
Pontes de madeira foram serradas e uma viatura da Força Nacional caiu em um córrego. Carros também foram incendiados. Um prédio em construção, que seria a nova sede da Polícia Militar, foi queimado, e viaturas danificadas. 
Sem saída, os policiais desembarcaram das viaturas e foram cercados por vários indivíduos armados. Então, se iniciou um tiroteio e um dos moradores acabou baleado na perna.
Viatura da força nacional caída em ponte e prédio danificado. foto comando 190

Em represália, os moradores derrubaram árvores e montaram várias barreiras ao longo da única estrada que liga o Distrito ao município de Buritis. Segundo informações de um dos moradores, cerca de 12 viaturas policiais e 40 homens restaram emboscados, pois a única saída era a pé. Várias guarnições da Polícia Militar já se deslocaram para a região para reforçar o policiamento e resgatar os outros policiais que estavam cercados. Segundo outras informações uma base usada pelas Forças Policiais foi totalmente destruída pelos moradores. 

Ainda de acordo com a Associação do Rio Pardo, os invasores pediam a reabertura de negociação entre Governo do Estado e ICMBIO – Instituto Chico Mendes, para permuta de áreas públicas que permita que os mesmos permaneçam nas terras, que inclusive já se encontram desmatadas.

Segundo o G1 em nota, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos confirmou o falecimento do Aluno a Cabo PM Luis Pedro de Souza Gomes. O policial tinha 33 anos de idade e mais de 9 anos de serviço. O policial militar estava à disposição da Força Nacional há dois meses e faleceu durante uma ocorrência de reintegração de posse no distrito de Rio Pardo, no estado de Rondônia. No confronto com moradores, o militar foi atingido e não resistiu aos ferimentos.

Declarações de comando da PM.
Segundo rondoniagora o tenente Regis Wellington Braguin Silvério, que comanda o destacamento da PM em Buritis, confirmou nesta quinta-feira que um sério confronto ocorreu na região e militares sofreram emboscada por posseiros e moradores. 
Eles foram salvos após ação da Companhia de Operações Especiais (COE), que dispersou o movimento. Segundo o tenente, esse mesmo grupo, que foi dispersado, seguiu para Rio Pardo e destruiu um quartel da PM e Polícia Ambiental, o que fez com que os militares fossem remanejados para fora do Distrito. 
Equipes da Força Nacional de Segurança permaneceram no local para averiguarem que existiriam reféns e acabaram sendo alvos da ação dos manifestantes. Os militares teriam ficado sem munição e acabou rendida. “Esgotaram-se os equipamentos de dispersão e manifestantes correram para cima”, informou o tenente. Durante essa ação, o policial Luís Pedro de Souza Gomes, do Mato Grosso do Sul, foi morto. Ainda de acordo com o tenente, há possibilidade de existirem mais baleados.



Flona do Bom Futuro 
A Floresta Nacional do Bom Futuro foi criada pelo governo federal em 1988 e possuía 280 mil hectares. Após sucessivas ocupações, em 2010 ela foi desmembrada. 
A área reservada à Flona diminuiu para 97 mil hectares, sendo que o restante das terras foi transformado na APA do Rio Pardo, que é de responsabilidade do Governo do Estado de Rondônia. 
Em setembro de 2012, uma ordem judicial foi expedida pela 5ª Vara Federal ordenando que as 13 famílias que moravam na localidade fossem retiradas. Na ocasião também houve uma operação de retirada, já que os moradores não cumpriram o prazo de desocupação pacífica. Na época, a gerência regional do ICMBio, disse que as famílias iriam receber todo o apoio necessário e seriam transferidas para a Vila do Rio Pardo, uma Área de Proteção Ambiental (APA) subjacente à Floresta Nacional do Bom Futuro.(fonte G1)

Um comentário:

  1. Nossos policiais foram heróis. Em um confronto morreu um policial, mas o profissionalismo dos policiais evitou a morte de várias pessoas, inclusive de mais policiais.
    A proteção de Deus foi grande. Um policial deu a vida para salvar os outros.

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.