quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Justiça de Rondônia criminaliza camponeses e protege grileiros de terras da união.

Publicamos informação recebida da Liga dos Camponeses Pobres.

Justiça de Rondônia criminaliza camponeses e protege grileiros de terras da união.

Desde o dia 15 de outubro de 2013 camponeses do Acampamento Monte Verde vivem dias de tensão, a juíza Elisângela Nogueira deu uma ordem de reintegração de posse contra os camponeses em favor do latifundiário Nadir Jordão dos Reis. O latifúndio conhecido como fazenda do Jordão é de conhecimento publico que é uma área de terras da união que foi destinada para a reforma agrária há muitos anos e que os documentos que o s.r. Jordão usa para fazer a reintegração de posse pertence na verdade a outro latifúndio conhecido como fazenda do Vilmar.

Situação idêntica vivem os camponeses do Acampamento Santa Fé que mesmo sendo terras da união conforme documentos do próprio INCRA os camponeses estão sendo ferozmente perseguidos pela pm sob o comando de enedy.

Acampamento 10 de maio: latifúndio foi desapropriado para fins de reforma agrária desde 1995.

O Servidor do INCRA Eustáquio conhecido das paginas policiais por “esquentar” posses de grileiros de terras da união deu declaração de posse em 2000 para o latifundiário caubi e em 2003 deu carta de anuência para os filhos do latifundiário em uma área de terra que foi destinada para reforma agrária desde 1995. Esse tipo de manobra é conhecido como ”esquentar documentos”, em 2005 Eustáquio foi demitido e preso na operação na operação terra limpa da policia federal que investigava esquemas de grilagem de terras da união e de áreas que já estavam destinadas para reforma agrária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.