sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Usinas seguem impactando ribeirinhos do Madeira

No mesmo dia em que é anunciado a início de geração da primeira turbina de Jirau, seguimos registrando os impactos inesperados para os ribeirinhos atingidos pelas usinas do Madeira em Porto Velho.
Casa ribeirinha desmoronando no Rio Madeira, na jusante das usinas de Santo Antônio e Jirau. foto rondonoticias

Defesa Civil de Porto Velho vistoria margens do rio Madeira. Órgão analisa problemas causados pela vazante
PORTO VELHO - A Defesa Civil de PortoVelho vistoria nesta sexta-feira (6.0.13) as margens da região central do rio Madeira. Na semana passada o nível do rio marcava 3,25 metros, e nesta quinta-feira (5) chegou a 5,40 metros. O monitoramento vai ajudar a Defesa Civil e a Prefeitura de Porto Velho a definirem ações de contenção de desmoronamento. "Essa oscilação do nível do rio era inesperada. Então temos que estudar o que pode ser feito na margem direita e esquerda do rio", comentou o coordenador da Defesa Civil, José Pimentel.
O coordenador da Defesa Civil explica que chuvas acontecem com maior incidência no rio Abunã, isso aumenta o volume de água no Madeira. Pimentel afirmou, ainda, que se nenhuma providência for tomada nos cinco quilômetros da margem que estão em processo de erosão os bares, casas e monumentos históricos podem ser atingidos.
Autor: Vinícius Teixeira - Portal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.