domingo, 15 de setembro de 2013

Pistoleiros armados invadem acampamento.

Quatro dos invasores armados do Acampamento Fortaleza de Theobroma. foto acampados
Dez homens armados e acavalo quase provocaram um confronto no Acampamento Fortaleza, após entrar no mesmo a cavalo e armados, ameaçando as lideranças do lugar. O qual provocou a reação dos acampados, que se defenderam rodeando os primeiros com enxadas e foices, os instrumentos de trabalho dos pequenos agricultores até os mesmos abandonar o acampamento e se dirigir até a Fazenda Seringal. Se suspeita que entre os invasores armados estavam alguns policias sem farda.

O fato aconteceu no município de Theobroma o domingo passado dia 08 de setembro de 2013 e comprova a existência de milícias armadas na região, assim como a parcialidade das rondas policias, que somente fiscalizam os pequenos agricultores, atendendo as demandas dos fazendeiros da região, diante da demanda de reforma agrária por parte de muitas famílias sem terra.

Boletim de Ocorrência Policial de N. 3701-2013 foi registrado quinta feira passada, dia 12 de setembro de 2013 na 1a Delegacia de Polícia Civil de Jaru, que literalmente registrou:

Recado com cartucho vazio
dum dos pistoleiros
da Fazenda Seringal. foto acampados 
"Às 13,30 hs recebemos o BOP 249/2013 (COMUNICAÇÃO), cujo teor, transcrevo: O solicitante declarou que no dia 08/09/2013, por volta das 10,00 hs estavam nas suas actividades normais do acampamento, que em determinado momento apareceu do fundo do acampamento dez homens a cavalo, armados com pistolas, revólveres e foices, sendo que foi feito uma conversa entre os hoemns e os acampados, na qual foi perguntado quem era líder e que os mesmos estavam perdidos, sendo respondido pelos acampados que no acampamento não existe líder e sim uma comunidade que todos escolhem por maioria como agir. Após a conversa, os dez homens foram embora pela frente do acampamento, sendo observado depois pelo solicitante que os rastros foram para a Fazenda Seringal. Os moradores do acampamento estão com medo devido ao fato acontecido e pedem providências das autoridades. Os acampados conseguiram tirar três fotos dos agentes que seguem anexas. Esta ocorrência foi informada ao oficial do dia" 

Famílias cadastradas pelo Incra a início de agosto.
foto acampados.
O Acampamento Fortaleza está situado com autorização nas proximidades da Fazenda Seringal, conhecida como da Viúva do Nenê da Nova Vida, de onde forma despejados por duas vezes. No momento que receberam a visita intimidatória o grupo estava preparando uma reunião para repassar as informações sobre negociações estabelecidas durante a semana anterior em Porto Velho, com mediação do INCRA sobre a compra de parte da propriedade para reforma agrária. O advogado dos fazendeiros teria apresentado proposta de destinar para assentamento quase 800 hectares de terra. Em inícios de agosto a Ouvidoria Agrária do INCRA realizou o cadastramento de mais 49 famílias no Acampamento Fortaleza, em Theobroma. Eles solicitaram também poder serem assentados em outros lotes abandonados da região.

Canela machucada por botinada dum policial em abril.
Foto acampados
Na região tem sido denunciadas desde abril de 2013 diversas atuações de pistoleiros e abusos policiais, como maus tratos a presos e queima do acampamento por efetivos da COE, segundo as informações dos mesmos. Também houve denúncias que um policial genro da dona da fazenda, de nome André, seria o coordenador das milícias armadas no local. Porém apesar de denúncias e petições encaminhadas pela Ouvidoria Agrária Nacional até agora não temos conhecimento de nenhuma providência do Ministério Público ou Corregedoria da Polícia contra estas ilegalidades por parte de policiais e fazendeiros da região. 
Apenas três pistoleiros da fazenda chegaram a serem detidos durante uma das reintegrações de posse, porém o aparelho policial do estado parece que continua tomando apenas medidas repressivas contra os pequenos agricultores e diversos acampados, sendo acusados em diversos processos de formação de quadrilha e outras acusações.
Presença de milícias armadas comprova parcialidade das rondas policiais. foto acampados
O fato foi denunciado na hora por telefone na PM pelos acampados desde um lugar próximo que recebe sinal telefônico, porém a PM que alegou que estavam somente dois efetivos e não podiam comparecer no lugar. Duas viaturas tinham sido avistadas fazia pouco tempo nas proximidades, mas não foram chamadas. Rondas policiais tem sido acordadas, com financiamento da Ouvidoria Agrária, para fiscalizar o porte de armas na região, porém segundo os acampados, a fiscalização sempre se abate apenas sobre os pequenos agricultores, sem registrar os carros dos fazendeiros envolvidos, e esta acusação estaria confirmada por este último incidente de homens armados da fazenda, no passado dia 08.09.13.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.