segunda-feira, 8 de julho de 2013

PMs e sem terra entraram em confronto em Seringueiras

Policiais entrando na fazenda Riacho Doce em Seringueiras. foto  girocentral
Publicamos neste blog as duas versões recebidas sobre o confronto entre um grupo de sem terras e a polícia militar em Seringueiras, Rondônia. A primeira versão, da Liga dos Camponeses Pobres, a segunda do site local de Seringueiras, Girocentral. Segundo informações, ontem houve novo confronto no local. 
Outro grupo de 40 famílias que formavam parte do acampamento desde o começo, após um racha foram expulsas por grupo mais radical, que protagonizou o confronto atual, que tem Francisco (Gordinho) por liderança, por serem partidários os primeiros duma retirada pacífica da área, na época da reintegração de posse do ano passado.
Os primeiros eram conhecidos pela liderança de Orlando Pereira Sales, o Paraíba, que foi assassinado a finais de 2012. O INCRA assinou com estes compromisso de serem assentados no local de forma prioritária, se a justiça decidir a favor da imissão de posse para reforma agrária, o que aconteceu com 800 hectares. Este compromisso foi confirmado em reunião com a Ouvidoria Agrária Nacional em Porto Velho.
Segundo informações recolhidas pela CPT RO, a reocupação da fazenda foi realizada somente por grupo de homens, que após o confronto fugiram para a Reserva Indígena Uru Eu Au Au, situada nos confins da área de conflito. (veja embaixo as matérias recebidas)


Liga dos Camponeses Pobres: Denúncia Grave: PM de Rondônia Faz serviço de pistolagem em Seringueiras. Desde o dia 4 de julho de 2013 policiais de Seringueiras e de São Miguel do Guaporé comandados pelo Tenente Lúcio e pelo Major Crispin estão sem ordem judicial dentro da fazenda Riacho Doce fazendo segurança particular para o latifundiário Artemiro Kraus.


Policiais que teriam atirado contra sem terras
eram de São Miguel segundo a LCP.
Foto recebida da LCP
A área em questão é uma área da União que a Justiça Federal de Rondônia já destinou para um projeto de assentamento e o latifundiário Artemiro Kraus, com a cumplicidade de autoridades da região, do INCRA de Rondônia e da Ouvidoria Agrária Nacional está grilando para regulariza-la via o programa Terra Legal.
Três dos policiais que atiraram nas famílias no dia 04-07-2013 foram identificados pelos seguintes nomes: Claudiney Dourado, Claudio Dourado e Oziel Fonseca. Todos os três são policiais de São Miguel do Guaporé.

Os camponeses que estavam acampados desde 2007 cansaram de esperar pelas promessas do INCRA e em dezembro de 2012 reocuparam a área, o que forçou a Justiça Federal a tomar a seguinte decisão: dos 6 lotes que compõem a fazenda Riacho Doce, 2 lotes seriam destinados para reforma agrária. Passado mais de 2 meses e nada foi feito pelo INCRA mesmo tendo a Justiça Federal dado-lhe o prazo de 60 dias para assentar os camponeses na área. Diante da morosidade e do descaso do INCRA os camponeses decidiram novamente reocupar a área.

Segundo denúncia recente de um servidor do próprio INCRA agentes deste órgão em Rondônia receberam 150 mil reais de Artemiro para que a decisão judicial não fosse cumprida e os camponeses não fossem assentados na referida área. Em uma visita no acampamento, a atitude do superintendente do INCRA foi muito suspeita, pois chegou a dizer que o INCRA não poderia cortar a área para assentar os camponeses porque não tem dinheiro sequer para pagar o topógrafo e informou ter pedido mais prazo na Justiça Federal para assentar os camponeses. Como o INCRA não tem dinheiro para pagar a topografia, se em reunião recente em Porto Velho, o Ouvidor Agrário Gercino disponibilizou 100 mil reais para a polícia de Rondônia reprimir camponeses? Dinheiro para assentar os camponeses não tem, mas dinheiro para a polícia reprimir os camponeses tem.

Se os camponeses ocupam a terra a policia rapidamente aparece para reprimir, mas se o latifundiário está grilando as terras da União, a polícia lhe presta serviço de pistolagem. Os camponeses vão confiar em quem? Na justiça? Na polícia? Ou nas próprias forças?
Tudo que vier acontecer de agora em diante será de inteira responsabilidade do Ouvidor Agrário Nacional, do INCRA de Rondônia e do Governador Confúcio Moura.

TERRA PARA QUEM NELA VIVE E TRABALHA!
COMISSÃO DE ACAMPADOS DA ÁREA PAULO FREIRE III
LCP- LIGA DOS CAMPONESES POBRES DE RONDÔNIA E AMAZÔNIA OCIDENTAL!


Sem Terras entra em confronto com PM na Fazenda Riacho Doce em Seringueiras.
Publicado em 04/07/2013 13:22 atualizado em 07/07/2013 23:58. Fonte: Girocentral.com.br Polícia

Policiais em Seringueiras. foto girocentral
Nesta quinta-feira por volta das 2 horas da madrugada, um grupo aproximado de 70 pessoas retomaram a fazenda Riacho Doce localizada a aproximadamente 2 Quilômetros da cidade de Seringueiras na linha 2 de maio. Segundo informações repassadas pela policia militar que se encontra no local, o grupo de sem terras entraram atirando na fazenda para espantar os funcionários da fazenda que se encontravam no local e se apossaram do local.
A polícia militar na manhã desta quinta-feira chegou até os arredores da fazenda para averiguações no local, mas foi recebida a bala, os policiais em defesa também os revidaram, havendo um grande confronto de tiros entre os sem terras e a policia militar (Fotos das capsulas de espingarda 12 abaixo).
Em contato com o comando da policia militar que esta no local, eles nos afirmaram que os sem terras cerraram e quebraram todas as pontes que davam acesso a fazenda, até mesmo galhos e arvores foram alocadas nas estradas para que pudessem impedir a entrada dos policiais, com isto os policiais chegaram a atravessar a fazenda de um lado ao outro a pé, pois não conseguiram atravessar as caminhonetes.
A polícia nos relatou apresentando imagens que os sem terras cortaram (Conforme imagem abaixo) todos os morões do curral que o fazendeiro tinha construído na área fora da área que esta previsto para assentar as famílias do acampamento Paulo Freire 3, o valor do curral chega a um valor aproximado de 30 mil reais. A policia militar negou a existência de algum homem ou mulher estar ferido no local como o jornal “Giro Central” tinha informado pela manhã desta quinta-feira, e a informação de que teria dois sem terras desaparecido também não condiz como verdade.
Na tarde desta quinta-feira os sem terras atearam fogo nas pastagens da fazenda, com o intuito de espantar a policia militar que se encontra no local realizando os trabalhos de praxes, a policia militar ainda informou que na fazenda a muitas madeiras e caminhonetes do fazendeiro que podem ser destruídos se o fogo se espandir muito.
Entenda o porquê os sem terras retomaram a fazenda Riacho Doce.
Depois do último despejo ocorrido em abril de 2013, as famílias foram levadas para a cidade de Seringueiras onde ficaram acampadas no INCRA e após uma negociação com a equipe do Terra Legal eles se apossaram de um terreno da prefeitura de Seringueiras e ficaram acampados até o último dia 04 de julho, quando retornaram a área. O prazo de 60 dias que o INCRA solicitou para realizar vistoria da área já se expirou. Além de não cumprir o prazo o INCRA em reunião há quinze dias informou que parte da área seria destinada a outras famílias que não faziam parte das famílias acampadas no município de Seringueiras.

2 comentários:

  1. associaçao dos trabalhadores rurais do vale do rio guapore no estado de rondonia.vem mui.respeitosamente, e responsavelmente.fazer,um apelo.para a presidenta dilma russeff.e as forças armadas,e o incra e o exercito de brasilia-df.para acabar,com essas farras,continua.desses desordeiros,que vivem atacando,contra a lei,e o desivolvimento agrario.pois as terras da uniao,nao serao,pacifica de desordens,assim como fazem os poderosos,e os funcionarios dos orgaos,pois ja vai.para cinco anos essas desordens,aqui em nosso municipio d bom principio.que alguem apelidaram de seringueiras-ro.pois aqui e bom principio-br-429-rondonia.resoluçao 013 de 1983.isso e um abuso.entao queremos a ordem e a lei,pois ja o desembargador gercinio filho.tem que ser ponido.pois ele pinta e borda,em nome de ouvidor agrario.isso e um caso,que ja foi longe demais.por favor,nossa presidenta dilma rousseff,e o exercito brasileiro.que ja e o chefe do incra,quando,vao assentar,nos da vale do rio guapore.para terminar,essas farras dos sem terras,aqui em nosso estado de rondonia.que somente,sao usados,os coitados das familias.para os lideres sedarem bem,e alguns perderem ate as suas vidas.se nao ouver,jeito,e somente,nos enviarem,oficios dizendo.que nao tem como executar,a lei do ex,presidente luiz inacio lula da silva,com seus seis ministros,decretado.por um congresso nacional,decretada.por ele.11.952/25/06/09.e um decreto 1775/08/01/69.por ex,pres,fhc.e reconhecido.por um STF.NOS DESCULPEM,MAIS JA FOI LONGE DEMAIS.NOS PEDINDO SOCORRO.PARA SERMOS ASSENTADOS.AS PESSOAS QUE RELAMENTE,QUEIRAM,UMA POSSE PERMANENTE,E NAO ESSAS INVASOES,SANGRENTAS,COMO JA SE ARRASTAM,A MAIS DE 44 ANOS,SE NOS FOR,ATENDIDOS,DESDE JA LHES,ENVIAMOS,OS NOSSOS VOTOS DE MAIS ELEVADA,EXTIMA E CONSIDERAÇOES.EXMA PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF.E OS EXMOS OFICIAIS DO EXERCITO BRASILEIRO.NOSSO MUITO OBRIGADO.HERMES CAVALHEIRO

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.