terça-feira, 9 de julho de 2013

Cidade e campo vão a luta quinta feira dia 11 de julho

Manifestação unitária realizada em Ji Paraná o ano 2012. foto cpt ro
Após reunião da Via Campesina, CUT, CTB e diversos sindicatos o dia 03/07, trabalhadores do campo e da cidade reunidos preparam mobilização para o dia 11 de julho em Porto Velho, Jaru, Vilhena e Pimenta Bueno. Tem se aderido o Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rondônia (MSTTR), organizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (Fetagro) e Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTRs), que cancelou Conselho Deliberativo da Federação planejado para as mesmas datas para participar da mobilização. 

1.     Na pauta que se prepara em Porto Velho se contempla:

·         Transposição
·         Reforma Agrária com os seguintes sub-pontos;
a)      Assentamento imediato de todas as famílias acampadas no estado como forma de por fim os conflitos agrários e a violência contra famílias e lideranças
b)      Reassentamento das famílias impactadas pelas obras do PAC
c)      Retomada imediata das terras compradas por estrangeiros no estado
d)      Regularização das terras indígenas, quilombola e tradicionais
e)      Não á privatização dos recursos naturais: florestais, hídricos e minerais, sobre jurisdição do estado
·         Criação de uma política de fortalecimento de produção de alimentos da pequena agricultura baseada no processamento, armazenamento e escoação
·         Ter uma política de educação do campo com o fim da política de polarização das escolas do campo e da política de ensino médio a distancia
·          Aumento das compensações por parte da usina de Santo Antonio visto que a Anel autorizou o aumento do lago em mais 12%
·         100 % dos Royalties das usinas para a educação, saúde, e habitação rural e urbana
·         Ter um programa de saneamento básico sem a privatização da CAERD
·         Não a privatização do serviço de transporte publico, casado com uma política de transporte barato para os setores periféricos ende se concentra a população mais carente, e fim do monopólio do serviço de transporte interestadual como forma de baratear as passagens
·         Corrupção? Aqui estamos em uma queda de braço, pois tem setores que defendem a ideia que no trajeto da marcha teríamos que passar pela a Assembleia Legislativa
Para não tumultuar os espaços de plenárias mais ampliadas, estamos com a tática do convencimento individual
·         Não á demissão de nenhum funcionário público em especial os vigilantes
2.     
5O Dia nacional de Lutas, que propõe a realização de atos conjuntos – do movimento sindical e social – em todo o País, é uma organização e convocação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais centrais sindicais (CTB, Força, UGT, CSP/Conlutas, CGTB, CSB e NCST) aos movimentos sociais e população em geral para com a promoção de greves e manifestações de protestos exijam do Governo e do Congresso Nacional medidas para aprovar e colocar em prática as reivindicações que constam da pauta trabalhista. As reivindicações são: fim do Fator Previdenciário, fim do projeto de lei 4330 que amplia a terceirização, fim dos leilões do petróleo, jornada de 40 horas semanais sem redução salarial, mais investimentos em saúde, educação e segurança, reajuste digno para os aposentados, transporte público de qualidade e reforma agrária e política agrícola.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.