MST realiza reunião com INCRA


Representantes dos assentados do MST em reunião com Incra. foto incra
Segundo fontes da autarquia, a superintendência do Incra em Rondônia está realizando reuniões nos projetos de assentamento (PA) do estado e discutindo os problemas do local e de áreas vizinhas para melhorar a comunicação com os trabalhadores rurais e a dinâmica de atendimento do órgão. Na terça-feira (07.05.2013) reuniu representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) de vários locais no projeto de assentamento Margarida Alves, no município de Nova União (RO).

“Essa é uma nova forma de trabalho do Incra com os movimentos sociais, onde nos reuniremos nos assentamentos, conhecendo de perto a realidade de cada área”, observou o superintendente regional do Incra, Luis Flavio Carvalho Ribeiro. Participaram representantes dos acampamentos Antonio Conselheiro, Betinho, Silvio Rodrigues, Che Guevara e Bruneto, e projetos de assentamento Palmares, Novo Amanhecer, Oziel dos Carajás, Chico Mendes, Madre Cristina, 14 de Agosto, Migrantes e Margarida Alves, sob a liderança de Claúdio Pereira, membro da coordenação estadual do MST.

Em conjunto com uma equipe de técnicos do Incra foram discutidos aspectos como o andamento dos processos para obtenção de terras, os valores dos títulos da terra cobrados dos assentados, a recuperação das áreas de preservação permanente (APP), os procedimentos para regularização das áreas coletivas (agrovila), acesso ao crédito para jovens e mulheres e curso de nível superior voltado à terra em parceria com a Unir.

Um tema muito questionado na reunião foi a construção e recuperação de estradas e pontes. De acordo com o superintendente, a Programação Operacional do Incra/RO em 2013, que aguarda autorização da sede em Brasília, prevê o atendimento a 4.725 famílias com a execução de 1.166 km de estradas vicinais em 42 projetos de assentamento.

Ficou prevista uma reunião no gabinete do Incra em junho com a Comissão Nacional de Violência no Campo e a participação do Incra regional e nacional, procuradorias, MST/RO, proprietários de fazendas, Consultoria Jurídica do Ministério do Desenvolvimento Agrário(MDA) e programa Terra Legal para discutir as áreas que são objeto de ações judiciais e aquelas que os proprietários querem acordo com o Incra e estão com ocupação de trabalhadores rurais sem terra, porém com impedimento contratual (CATP). Os próximos assentamentos para as reuniões serão indicados pelos movimentos sociais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Santo Antônio do Matupi, no Km 180 da transamazônica.

NOTA PÚBLICA - HOMENAGEM RIDICULARIZA RONDÔNIA E ESTIMULA A CRUELDADE CONTRA AS MINORIAS.

O acidente das usinas que nos esconderam