sexta-feira, 3 de maio de 2013

Começou cadastramento de famílias para serem assentadas em Seringueiras.

Cadastramento do Incra das famílias
do Acampamento Paulo Freire de Seringueiras. foto cpt  ro

Com presença do Ouvidor Agrário Erasmo e o Coronel Ângelo, da Polícia Militar Agrária de Ji Paraná, ontem começou o cadastramento das oitenta famílias que devem ser assentadas em 800 da área pública grilada pela Fazenda Riacho Doce, onde o INCRA foi imitido em posse em recente decisão da justiça federal de Ji Paraná. 

O cadastramento deve continuar hoje em Seringueiras dum segundo grupo de acampados. A maior parte das famílias ficaram até sete anos acampadas e sofreram diversas reintegrações de posse desta mesma área, na qual chegaram a ficar por três anos morando e trabalhando antes de serem de novo despejadas em setembro de 2013, tendo todas as benfeitorias destruídas.

Ainda, o grupo sofreu por causa de capangas e pistoleiros, tendo registro de ameaças, expulsões, intentos de assassinato e duas mortes provocadas pelo conflito agrário, entre elas a principal liderança do grupo, Orlando Pereira Sales, o Paraíba, assassinado em Nova Brasilândia o dia 29 de novembro de 2012, que agora pode dar nome a um dos novos assentamentos criados.

A companheira dele, Teolides Viana dos Santos, ainda corre grave perigo de vida, pois após sofrer grave atentado em agosto de 2012, e continua a estar sendo ameaçada e perseguida na atualidade. A CPT RO tem pedido  medidas efetivas de proteção para ela e para o grupo que ela lidera, reivindicando da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República e Ouvidoria Agrária Nacional a inclusão no Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.