terça-feira, 16 de abril de 2013

Machadinho sofre com aplicações de agrotóxicos

A CPT prepara junto com outras entidades do Fórun Permanente Contra os Agrotóxicos  uma palestra em Ji Paraná sobre "Os impactos dos agrotóxicos na saúde" (dia 17 de abril de 2013, às 8,30 horas da manhâ)  na Câmara Municipal de Ji Paraná. 

Ainda hoje nos deparamos com uma grave denúncia apresentada no Ministério Público, que relata danos a saúde e as lavoures e até um novo êxodo rural, provocado pela aplicação de venenos nas grandes lavouras, segundo representantes católicos da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Machadinho do Oeste.


Aplicação de veneno em arroz. Foto envolverde /

Graves problemas provocados por agrotóxicos a moradores das comunidades de Machadinho.
Em Assembléia da Paróquia Aparecida de Machadinho, (Arquidiocese de Porto Velho, Rondônia) os dias 15, 16 e 17 de Março de 2013, o relato de alguns participantes sensibilizou os presentes sobre  os graves problemas provocados pela aplicação de agrotóxicos a alguns moradores de agricultores/as das comunidades.  

Famílias estão sendo obrigadas a abandonar o seu lote de terra.
O problema do veneno nas grandes lavouras é tão sério que acabam inclusive obrigando a saída de famílias de seus lotes. Muitos estão tendo que se mudar. Os principais problemas relatados pela aplicação de agrotóxicos acontecem nas Linhas MA 45, MA 49 e MC 07, nas proximidades duma Escola Polo e adjecências de demais localidades onde exitem aplicação de agrotóxico pelas grandes lavouras.  

Baixo assinado
As reclamações motivaram de forma unânime na assembléia a redação de um abaixo assinado dos participantes, onde eles denunciam que as aplicações estã provocando "graves danos a saúde e a agricultura familiar" e que alunos das escolas estão sendo afetados também. "Solicitamos que sejam tomadas providências para defender a vida e a saúde das pessoas".

Relatório no MP.
O documento foi protocolado no Ministério Público da Comarca de Machadinho do Oeste pelo Pároco Padre Dionísio Kuduavicz.
Um processo foi iniciado no MP, onde eles afirmam que "o cheiro de veneno nas casas durante o período noturno é insuportável, visto que ao cair à tarde o veneno evaporado duranteo calor do dia, desce junto com a brisa da noite". Ainda o boletim continua relatando como especilamente os idosos e crianças sofrem com o ocorrido. 
No interior da Escola Hermínia Catoide de Oliveira, na Linha MC 07, "o cheiro é muito forte durante a aplicação do produtos nas lavouras, bem como a inalação realizada pelos alunos no trajeto ônibus escolar, que passa pelas lavouras". 

Palestra sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde em Ji Paraná
O Fórum Permanente Contra os Agrotóxicos organiza a palestra que será realizada na Câmara de Vereadores de Ji Paraná amanhâ, dia 17 de abril de 2013, às 8,30 h.  O ato é organizado com apoio da vereadora Sílvia Cristina Chagas, junto com a Coocaram (cooperativa que comercializa café orgãnico), Projeto Padre Ezequiel, da Diocese de Ji Paraná; e a Comissão Pastoral da Terra de Rondônia. 

Objetivos
Entre os objetivos citados no convite está:
1 - Identificar a situação, impactos e problemas do uso de agrotóxicos na produção agrícola.
2 - Divulgação para a sociedade brasileira da gravidade do problema.
3 - Articular as diferentes iniciativas de combate ao uso de agrotóxicos e de produção agroecológica.
4 - Promover debates, discussões e seminários sobre a problemática dos agrotóxicos.
5 - Desenvolver ações concretas junto às comunidades para enfrentamento do problema. 
6 - Contribuir na divulgação sobre o tema. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.