sexta-feira, 22 de março de 2013

Dez grandes fazendeiros são principais desmatadores de Rondônia

Ação do Ibama em Rondônia. foto greenpeace

Pelo menos dez grandes pecuaristas e fazendeiros de Rondônia estão entre os proprietários de terras embargadas na Operação Onda Verde, do Ibama, realizada há 30 dias. Posseiros autorizados pelo Incra também foram autuados. As multas totais superam R$ 5 milhões e os desmatamentos também alcançam áreas reconhecidas pelo Estado e pela União como de preservação ambiental. As Reservas Extrativistas de Jaci-Paraná estão na relação de áreas invadidas pelos desmatadores. Os municípios com maior incidência de registros ambientais são Porto Velho, Nova Mamoré, Cujubim, Machadinho do Oeste, Buritis e Costa Marques. 

A operação resultou no embargo de 3,6 mil hectares – o equivalente a quase 4 mil campos de futebol - , e envolve terras de Porto Velho, Machadinho do oeste, Cujubim e União Bandeirantes. O superintendente do Ibama em Rondônia, Paulo Diniz, informou que a comunicação de crime ambiental já foi feita ao Ministério Público e a lista dos embargados entrará nos próximos dias no site do órgão ambiental para consulta pública. O endereço é siscom.ibama.br/geo_sicafi.

Uma quantidade de madeira, equivalente a 15 carretas, cheias foi apreendida. Tratores também foram encontrados pelos fiscais em movimentação irregular nestas áreas e serão doados a prefeituras e entidades de defesa nacional. Dezenas de milhares de cabeças de gado precisam ser retiradas das áreas embargadas num prazo máximo de 90 dias, do contrário, diz o presidente do Ibama, serão apreendidos.

O estado de Rondônia, de acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), só não desmata mais que Mato Grosso. “Nosso trabalho tem sido orientado pelas imagens de satélite, e no caso da operação Onda Verde, pudemos constatar que a taxa de desmatamento apresenta uma discreta queda. Nada que nos impeça de continuar com as equipes em campo, combatendo com rigor toda e qualquer irregularidades, disse Paulo Diniz. 

Com o objetivo de coibir o desmatamento ilegal nas áreas consideradas críticas pelo monitoramento ambiental dentro da Amazônia (Pará, Mato Grosso, Amazonas e Rondônia), a operação Onda Verde foi deflagrada no dia 04 de fevereiro. Em pouco mais de 30 dias, em Rondônia, agente ambientais do Ibama já embargaram 3.613,5 hectares de áreas desmatadas ilegalmente, apreenderam quatro tratores e aplicaram multas que chegam a R$ 5 milhões.

A operação Onda Verde tem em Rondônia base no Distrito de União Bandeirantes, município de Porto Velho. A base é uma unidade avançada que conta com veículos adaptados ao solo amazônico, equipe de peritos em sensoriamento remoto, que decodifica as imagens em alta resolução que chegam do satélite, apontando os alvos a serem vistoriados.

Equipes de ar e terra conseguem, a partir da qualidade das imagens de áreas desmatadas e da agilidade com que elas chegam às mãos dos agentes, efetuar com grande precisão o bloqueio imediato do desmatamento. “Essa agilidade nos permite chegar em bloco nas áreas que estão sendo desmatadas, o que nos possibilita prender os infratores e a apreender os equipamentos utilizados no desmatamento ilegal.”, disse o chefe da Divisão Técnico-Ambiental do Ibama em Rondônia, Renê Oliveira.

“Estamos atentos a toda área crítica do desmatamento em Rondônia. Todos os agentes tem ordem expressa de aplicar a lei com rigor, não só multando, mas embargando áreas, apreendendo produto de plantio irregular, gado criado em área embargada, bem como máquinas e caminhões utilizados no ilícito ambiental.”, alerta Oliveira.

A operação Onda Verde conta com o apoio do Batalhão de Polícia Ambiental, do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) e da Força Nacional de Segurança Pública.

Fonte: RONDONIAGORA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.