segunda-feira, 25 de março de 2013

Camponeses de Jacinópolis recebem solidariedade.

Camponeses de Jacinópolis recebem missão de solidariedade. 
O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO organizou uma missão para conhecer a realidade e solidarizar com camponeses da região de Jacinópolis, onde o Professor Renato foi assassinado. Essa Missão contou com a participação de diversas organizações de direitos humanos, entre elas, o Associação dos Advogados do Povo – ABRAPO, Rede Nacional de Advogadas e Advogados Populares – RENAP, Grupo de Tortura Nunca Mais – Rio de Janeiro, Assessoria Jurídica da CPT/RO, contou também com a participação de professores e acadêmicos da Universidade Federal de Rondônia – UNIR. 

Em visita a região, no período de 16 a 18 de março de 2013 foi possível constatar que o Estado é o maior opressor do camponês. Primeiro: não faz a devida reforma agrária, no que desafia os camponeses a fazê-la no “peito e na marra”; segundo: não constrói estradas, fazendo com que os camponeses tenham que se organizar para garantir as condições de estrada para escoar a produção; terceiro: depois que o camponês divide a terra, faz estrada, o Estado ainda o criminaliza com altíssimas multas por desmatamento e outras mazelas ambientais, em vez, de prestar a devida assistência técnica, enquanto isso, o latifúndio avança, o narcotraficante trafega livremente e os camponeses são obrigados a ficarem recolhidos em suas casas, produzindo e resistindo. 

Ponte quebrada obriga a transitar descendo do carro.  
Os camponeses resistentes de Jacinópolis recebeu os integrantes da missão com muita alegria, em vários momentos, através de rodas de conversa, contaram a história da região, lembraram as diversas lutas para permanecerem na terra e apontaram os maiores problemas da região: falta de atendimento médico e dificuldades para os filhos estudarem. 

Eles também destacaram as ações do Professor Renato na região, enfatizaram sua luta em defesa da construção e funcionamento da Escola Darcy Ribeiro, da organização do povo para construir as pontes, entre outras ações de solidariedade aos vizinhos. Apontaram seu assassinado como o maior crime contra o campesinato praticado na região, enfatizando que após o seu assassinato passaram a haver maior perseguição aos camponeses, que estes evitam falar do assunto por temerem represálias, que muitas vezes, vem das polícias que deveriam fazer a segurança do local.


Os participantes da Missão visitaram diversas famílias na região de Jacinópolis, registrando suas reivindicações e solidarizando com estes, motivando-os a lutarem por seus direitos e exigir do Estado a obrigação de cuidar de todos de forma igualitária e justa, pois, os camponeses que residem em Jacinópolis são pessoas de bem, constituíram famílias e desejam a terra para nela viver e produzir com dignidade! 

A missão encerrou as suas atividades na DP de Buritis onde se buscou informações sobre as condições do inquérito nº 070/2012, referente ao assassinato do Professor Renato Nathan.

Estrada alagada indo para Jacinópolis (N Mamoré)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.