sábado, 15 de dezembro de 2012

Coacaram comercializará castanha do povo indígena


Aprovado pela Fundação Banco do Brasil, o projeto “Cadeia Produtiva da Castanha Orgânica – Apoio à Estruturação Física no Sudoeste de Rondônia e Noroeste de Mato Grosso”, irá atender o povo indígena Zoró. 
O projeto foi apresentado pelo deputado federal Padre Ton (PT-RO) ao presidente do Ibama, Volney Zanardi, na sexta-feira, e Leandro Dias Martins, da Cooperativa dos Produtores Rurais Organizados Para Ajuda Mútua (Coocaram).
A Coocaram, instalada em Ji-Paraná há mais de 20 anos, fez parceria com a comunidade Zoró. Além de atuar na elaboração do projeto, destinado a fortalecer a cadeia produtiva da castanha do Brasil, coleta e venda de frutos, a cooperativa irá atuar na comercialização da castanha para os indígenas.
O deputado federal Padre Ton esteve com Volney Zanardi para que o Ibama viabilize a declaração de isenção de licenciamento ambiental, uma exigência da Fundação Banco do Brasil. Por ser uma terra indígena, somente o Ibama tem competência para emitir o documento, e conforme Padre Ton, a gerência do órgão em Rondônia orientou a procurar o Ibama de Brasília. 
O presidente do Ibama disse, após solicitar do representante da Coocaram, Leandro Dias, documentos para análise do Departamento de Licenciamento Ambiental, que até esta terça-feira o órgão deverá se posicionar sobre o documento solicitado.
A intervenção que será feita em parte da área dos Zoró é mínima, segundo Leandro Dias, e não haverá supressão de mata. Será construída uma estrutura em área de no máximo 100 metros, destinada a armazenar a castanha coletada.
Fonte: Mara Paraguassu, assessora de Imprensa. Deputado Padre Ton (PT-RO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.