segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Mais uma liderança rural assassinada no Sul do Amazonas

Brasília, 26/11/2012 – A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) cobrou providências do Governo Federal para investigar o assassinato do líder rural Raimundo Nonato da Silva Chalub. O lavrador assassinado dia 21 passado por denunciar a grilagem de terras e o desmatamento ilegal em assentamentos do Terra Legal, era morador do ramal Mendes Júnior, quilômetro 38, sítio Casabranca, no Sul do município de Lábrea, estado do Amazonas. O local está situado nas proximidades da localidade de Nova Califórnia, distrito de Extrema em Porto Velho.
Segundo o Ouvidor Agrário Nacional Gercino da Silva Filho, Chalub teria sido morto a facadas, em sua casa. A deputada pede a investigação dos crimes cometidos: são oito assassinatos, três apenas neste ano, provocados pela ofensiva de grileiros e madeireiros aos lotes dos assentamentos da reforma agrária.
A socialista discursou na tribuna da Câmara dos Deputados, telefonou para o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, e recebeu um telefonema do Ouvidor Agrário Nacional. Ela telefonou para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, e aguarda que ele dê retorno ao seu telefonema, já que estava em reunião.
A deputada Janete quer que as forças policiais federais atuem na região. “É plenamente justificada a atuação da Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança em Lábrea. São crimes ambientais e de invasão de terras públicas, além dos crimes contra os direitos humanos”, afirma a deputada. “Esse pedido já foi feito pela Ouvidoria Agrária, mas indeferido pelo Ministério da Justiça”, denuncia a socialista. Ela formalizará novo pedido ao Governo Federal.
Ela alerta, ainda, para a suspeição de alguns setores das forças policiais estaduais já que, recentemente, 14 policiais militares do estado de Rondônia teriam sido presos na fazenda Presidente Prudente por servirem de seguranças nas atividades ilegais.
Em telefonema ao presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, deputado Domingos Dutra, pediu o agendamento da diligência conjunta com a Comissão da Amazônia, já aprovada pelos dois colegiados, quando parlamentares das duas comissões realizariam audiência pública na região.

Já, segundo a FolhaPress, cintando a CPT de Lábrea, o falecido era Um trabalhador rural que denunciava ações de desmatamento e grilagem (posse ilegal) de terras na Amazônia foi morto a facadas, Raimundo Nonato da Silva Chalub, conhecido como "Rato", foi morto dentro de casa, no último dia 21. afirma a CPT de Lábrea, trata-se da oitava morte relacionada a conflitos fundiários na região desde 2006, e a segunda Terceira, se contamos o indígena kaxarari)  em 2012. A maioria dos crimes não foi solucionada, o que para a comissão revela indícios do envolvimento de matadores profissionais.
O líder sem-terra Adelino Ramos, 57, que pertencia ao MCC (Movimento Camponês Corumbiara), foi morto na mesma região em dezembro de 2011.
Outra morte recente registrada no sul de Lábrea foi a da trabalhadora rural Dinhana Nink, 27, atingida por um tiro de espingarda em março deste ano. A polícia apontou suspeitas de relação com o conflito entre extrativistas e madeireiros na região, mas ninguém foi preso.
A CPT do Sul de Lábrea é administrada pelo padre Fernando Redondo, que classifica a região como "faroeste amazônico".
Em Brasília, a deputada federal Janete Capiberibe (PSB-AP) cobrou investigações sobre a morte de Chalub ao governo federal. O trabalhador rural era morador de assentamento em área de conflitos entre sem-terra, fazendeiros e grileiros.
Capiberibe cobrou do governo o envio da Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança ao sul de Lábrea. "São crimes ambientais e de invasão de terras públicas, além de crimes contra os direitos humanos", afirmou a deputada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.