O pecuarista Adalho Cordeiro de Araújo também foi preso. Os advogados dos suspeitos já ajuizaram pedido de habeas corpus. A reportagem tentou contato com advogados dos detidos, mas nenhum deles atendeu às ligações.

Veronez e Araújo foram levados pela manhã à Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Decco) em Rio Branco, após operação conjunta entre Polícia Civil e Ministério Público Estadual, com apoio da Polícia Federal no Acre.

Em seguida, foram transferidos para um presídio. A Polícia Civil afirmou que a investigação passou a correr sob sigilo e não forneceu detalhes sobre o caso.


A CNA divulgou uma nota comunicando o afastamento de Veronez da diretoria. "Ele permanecerá afastado até que sejam concluídas as investigações policiais sobre suposta rede de prostituição de menores", diz trecho. "A CNA repudia a exploração sexual de menores e considera indefensável o envolvimento de qualquer cidadão com a prática de crimes desta natureza", conclui a entidade.

Em 17 de outubro, seis pessoas já haviam sido presas sob suspeita de aliciarem jovens de 14 a 18 anos para prática de orgias em residências e motéis de Rio Branco, segundo o Ministério Público.

Na ocasião, a operação foi batizada de Delivery, referência ao serviço de entrega de produtos em domicílio.
As prisões desta sexta-feira estão ligadas a esse caso.

A entidade congrega as 27 federações estaduais e 2.300 sindicatos rurais pelo país. Seu objetivo é defender interesses dos produtores no governo federal e no Congresso Nacional. A presidente da entidade é a senadora Kátia Abreu (PSD-TO). Em Rondônia o deputado Moreira Mendes.