sábado, 25 de agosto de 2012

Liderança da Via Campesina gravemente ferida por disparo.

Ontem à noite 25 de agosto de 2012 Ana Isabel de Magalhães Ramalho foi atingida por um disparo e gravemente ferida nas proximidades da casa dela, no assentamento onde morava em Jaru, Rondônia. Histórica militante do MST (Movimento Sem Terra) e hoje do MPA (Movimento dos Pequenos Camponeses), Isabel hoje é liderança da Via Campesina do Estado de Rondônia. Após ter conseguido um pedaço de terra, ela morava e trabalhava com a sua família no Assentamento Coletivo 14 de Agosto de Jaru. Faz anos que o local não é mais considerado área de conflito e o assentamento está legalizado, pelo qual não se conhecem as motivações do atentado.

Com a camiseta contra os agrotóxicos Isabel na feira de produção agroecológica. Foto Lenir.
Vejamos o relato das informações enviadas a CPT RO: "Acabo de chegar do Assentamento 14 de Agosto (fui levar notícias da Isabel para os filhos) e lá as pessoas estão assustadas, pois, a polícia não foi até o local até agora e não se sabe como ocorreu o tiro que atingiu a militante Isabel. Vamos aos fatos: Isabel tinha acabado de chegar em casa, retornando de suas atividades da Feira Agroecológica, que o Coletivo 14 de Agosto está promovendo na cidade de Jaru (venda direta de hortaliças para a população), quando retornou pela estrada, somente com uma lanterna, para esperar seus filhos no caminho, pois, estes também retornavam da feira, só que de caminhão. Quando no caminho de saída de sua casa e que dá acesso a casa de outro assentado, a mesma ouviu um barulho estranho, tentou focar o barulho, jogando o foco da lanterna, pensando trata-se de um tatu, no entanto, quando desviou o foco foi surpreendida com um tiro de revólver que a atingiu na altura da cintura, tendo a bala perpassado toda a extensão do seu corpo.
A mesma foi socorrida para o Hospital Público de Jaru e após os atendimentos médicos iniciais, encaminhada para o Hospital Público de Ji-Paraná, onde se encontra livre de risco de morte, mas, em observação médica para melhor avaliação do quadro clínico. Hoje (sábado 25/812) ela fez cirurgia no abdômen,  e agora deve aguardar o pós-operatório.
Não se sabe quem atirou; nem como conseguiu escapar do Assentamento; também não se sabe se a Isabel era realmente a vítima do atirador, o que se sabe, que esse fato soma-se a tantos outros onde o camponês é mais uma vítima da violência no campo.
O fato ocorreu por volta de 20 horas. Sendo que estive no Assentamento para ver a situação dos filhos da Isabel, as duas horas, não tendo nesse horário nenhuma informação nova e nem o comparecimento da polícia".
Isabel em encenação do Encontro de Mulheres do MPA. Foto Lenir


O Coletivo 14 de Agosto compreende 10 famílias, que em parceria com a ONG EPA de Jaru, realizam semanalmente a entrega de cestas de produtos orgânicos, oriundos da horta coletiva para famílias urbanas da cidade de Jaru/RO. Recentemente tinham iniciado uma Feira Agroecológica. O trabalho agroecológica do Coletivo 14 de Agosto é um trabalho pioneiro de agroecologia no estado e acompanhado pela CPT RO.

Um comentário:

  1. Meu Deus onde vamos parar com isso? até quando as autoridades vão ficar de olhos fechados a tantas injustiças cometidas a pessoas que só pedem por um pedaço de terra para plantarem o alimento que seus filhos necessitam para viverem com o mínimo de dignidade?quantos ainda terão de ser hostilizados?parece que ainda vivemos no século XVIII.

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.