quarta-feira, 11 de abril de 2012

Matam liderança da Liga em Buritis


Renato Nathan
Foto: LCP
Renato Nathan Gonçalves Pereira, liderança da Liga dos Camponeses Pobres  (LCP) de Rondônia,  foi morto ontem (10.03.12) na linha 03, distrito de Jacinópolis, do município de Nova Mamoré, com três tiros na cabeça. O site Ariquemesonline, publica um comunicado do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos - Cebraspo. Segundo o qual Renato era professor, tinha 28 anos, era casado e pai de uma filha de 2 anos de idade. "Ele foi professor durante vários anos. Ajudou na organização da campanha de alfabetização de jovens e adultos, na construção de escolas e na produção naregião de Buritis. Atualmente residia no município de Jaru e realizava serviços de topografia em sítios e para instalação de redes elétricas. Por onde quer que tenha passado deixou uma infinidade de amigos, pelo seu jeito simples de tratar as pessoas, por sua enorme dedicação ao trabalho, senso de justiça e solidariedade." O velório foi realizado hoje em Jaru, onde tinha familiares.


Segundo o comunicado divulgado pela da  CEBRASPO, a morte teria acontecido numa blitz policial e o motivo seria uma provável vingança contra a chacina acontecida em Buritis, com a morte de um agente penitenciário e um policial civil de Ouro Preto na semana passada. O Cebraspo relaciona estes policiais com vários crimes e assassinatos de trabalhadores e camponeses na região de Buritis, segundo eles, a mando de latifundiários e grileiros de terra. A Cebraspe denuncia "a participação de policiais civis e militares no assassinato, torturas, desaparecimento e perseguição atrabalhadores, pequenos camponeses, pequenos comerciantes e seus apoiadores".
Segundo Rondoniavivo,  o assassinato de Renato está sendo investigado e ainda não há pistas de quem pode ter cometido o crime. Materiais impresos e relacionados com o movimento da Liga dos Camponeses Pobres foram achados pela polícia civil e militar no local na residência da vítima, que fica na BR 421, distante 6 Km de Jacinópolis, assim como uma farda da força aérea americana e outra do exército Boliviano. Segundo a fonte, vizinho ao sítio de Renato morava Sebastião Cícero Sousa e Silva, vulgo Tiãozinho que foi morto na chacina da última semana na linha C-34 em Buritis. Segundo esta mesma fonte, somente neste ano foram registrados 22 homicídios na região de Buritis e segundo a polícia mais de 80% dos casos estariam ligados à confrontos com o LCP. Segundo Rondoniavivo a policia tem reagido as acusações relacionando a LCP com a violência na região:  “As estatísticas da secretaria de segurança apontam que onde existe a presença da LCP os índices de criminalidades são alarmantes” disse o Comandante do 7°Batalhão BPM Tenente Coronel Ênedy que também esteve em Buritis durante a apreensão do material, para o Coronel existe grande armamento na região e que a entrada dessas armas se dá pela fronteira com a Bolívia, “Isto é uma questão de perigo à segurança nacional, pois envolve fronteiras” Disse Ênedy.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.