terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Reocupada terra do Barro Branco


522012-131409-extra_v.jpg
Armas apreendidas à funcionários da Fazenda Bodanese. Foto Rondoniavivo.

Segundo informações recebidas por telefone, os agricultores do Acampamento Barro Branco, de Chupinguia, ocuparam de novo a terra em conflito com Ilário Bodanese, o passado sábado dia 04 de fevereiro, de onde já tem sido despejados por duas vezes. Em confronto eles apreenderam arsenal de armas dos jagunços da fazenda, que foram entregues a polícia civil. A terra foi objeto de Contrato de Alienação Pública não cumprido, pelo qual está em processo na justiça federal, já que foi requerida pelo INCRA como terra pública destinada para reforma agrária .



Uma significativa quantidade de armas e munição foi aprendida com supostos funcionários do pecuarista Ilário Bodanese, ex-vice-prefeito da cidade de Vilhena. Segundo o site Rondoniaovivo três homes foram rendidos e presos por porte ilegal de armas. 


De acordo com informações da Polícia Militar, a ocorrência aconteceu na tarde deste sábado 04, na propriedade denominada Barro Branco, pivô de disputa judicial que se arrasta há vários anos no município de Chupinguaia. A posse é requerida por Bodanese, que já teve duas sentenças de reintegração de posse favoráveis a ele, as última ocorrida há pouco tempo.

Na tarde de sábado cerca de 50 posseiros invadiram mais uma vez a área, e teriam encontrado numa casa quatro homens portando um tubo de PVC de diâmetro suspeito, com cerca de dois metros de comprimento. Dentro do cano foram achadas várias armas e munições. 

Seguindo com a versão dos posseiros, três dos homens foram rendidos, e o outro fugiu. Os prisioneiros teriam afirmado ser funcionários de Bodanese, encarregados de tomar conta da propriedade. No momento em que foram encontrados eles estavam tentando escapar dos invasores.

A Polícia Militar foi acionada, mobilizando guarnições dos distritos de Boa Esperança e Guaporé, que registraram a ocorrência. Segundo o B.O., os PMs encontraram uma carabina calibre 38; um revólver calibre 38, outro calibre 32 , e um terceiro calibre 22; além de uma espingarda calibre 28.Os policias também acharam vasta munição para as armas apreendidas, várias delas deflagradas.

Os supostos jagunços foram detidos, sob acusação de porte ilegal de armas, e estão â disposição da Justiça na Delegacia de Polícia Civil de Vilhena.

Apesar dos boatos e da tensão na região, a polícia não confirma a ocorrência de confronto que possa justificar os cartuchos deflagrados que foram apreendidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.