segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Castanheiras: Famílias despejadas ficam em quadra de esportes


Casa destruída do Acampamento Boa Esperança de Castanheiras, Rondônia.


Se a Presidenta Dilma quer um Brasil sem miséria, arrume terra e justiça para as famílias camponesas. Como estas famílias despejadas de Castanheiras, Rondônia. Enquanto otras famílias se refugiaram em casa de parentes no núcleo urbano de Castanheiras, mais famílias estariam se dirigindo ao local para ficar acampados. As 32 famílias que formaram o Acampamento Boa Esperança tinham sido chamadas pela própria fazendeira, Maria Pedreiro Pedroso para ocupar uma parte da área dela e posteriormente vender para o INCRA para reforma agrária.
A surpresa chegou quando realizada vistoria, o INCRA decretou que a maior parte da propriedade era improdutiva, e por tanto devia ser expropriada. Aí, depois de dois anos do grupo sem terra limpar e beneficiar o local, a fazendeira vendeu uma parte para um empresário de Ji Paraná chamado Paulão, e entra na justiça para expulsar ss famílias, que moravam acampadas na beira da estrada, porém mantinham casas e roças no interior do sítio. Oito dias atraás, em 23 de janeiro de 2012 foram expulsas por mais de 80 policiais, que também derrubaram e queimaram casas, roçando um grande plantio de maracujá. Galinhas teriam sumido. O tal de Paulão colocou uma porteira e fechou a estrada da lnha com cadeado. Se apropriando de um grande plantio de milho que tem no local anunciou que var dar de meias para colher. A compromisso do Governador de Rondônia de segurar os despejos de áreas retomadas pelo INCRA não foi cumprido.

Outas casas foram queimadas.



O plantio de maracujá foi cortado.
Os acampados estão recorrendo a ministério público federal por considerar que a queima das benfeitorias e posses deles foi além do mandato da ordem de despejo e que as posses deles tinha que ter sido respeitadas pela polícia e oficial de justiça que acompanhou o despejo. Maria Pedreiro Pedroso seria ex esposa de "Tião Interboi", Sebastião de Peder, recebeu deste uma das quatro fazendas griladas pelo mesmo. Oura delas, em Serinueiras também está sendo retomada pelo INCRA onde pretende assentar 80 famílias que já ocupam o local. Enquanto o processo de retomada de parte da propriedade da Castanheiras estaria sendo encaminhado pelo INCRA, as famílias do acampamento Boa Esperança tem acampados na maior penúria na quadra de esportes da prefeitura de Castanheiras, onde o município encaminhou os restos do seu acampamento.


Presidenta Dilma: Apesar de ter cadastro para receber cestas básicas e Bolsa Família, muito mais precisam estas famílias para sair da miséria e viver com dignidade:Terra e Justiça.

3 comentários:

  1. como voçes da pastoral da terra mentem e distorcem a verdade , vao trabalhar e juntar dinheiro pra comprar um pedaçinha de terra se é isto que vçs querem, nesta reportagem não fala que muitos dos invasores desta proriedade , ja até tinham vendido as invasoes passando e recebendo de terras que não eram destes invasores, se voçes são justosfalem ao menos a verdade.

    ResponderExcluir
  2. Prezado comentarista: A CPT publicou as informações repassadas pelo grupo do Acampamento Nova Esperança. A CPT apóia os pequenos agricultores que precisam de terra para ter o seu lugar onde viver com dignidade. Somos contra a grilagem e especulação da terra para negócio.

    ResponderExcluir
  3. Se a CPT é um blog com a finalidade de denunciar e busca tanto a verdade como afirma, deveria checar e certificar-se da validade das informações que publica. Deveria ver e ouvir os dois lados dos acontecimentos. Só assim teríamos uma sociedade mas justa para TODOS.

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.