quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Rondônia dobrou o desmatamento entre 2010 e 2011





Desmatamento em Mutum Paraná (Porto Velho)
na área de alagação da Usina de Jirau, no Rio Madeira. 

Desmatamento em Rondônia e Mato Grosso segue em tendência de aumento, e chegou en Rondônia a 869 km2, dobrando em nosso estado a taxa de desmatamento de um ano para outro. Isto é revelado pela divulgação dos dados do INPE (Instituto de Pesquisas Espaciais) entre agosto de 2010 e Julho de 2011. Enquanto que para a ministra de meio ambiente, Izabella Teixeira não há um motivo claro para o crescimento, para outros a construção das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau é um dos motivos, pois grandes áreas ribeirinhas do Rio Madeira que devem ser alagadas estão sendo desmatadas. Para nós é claro também que a aprovação do novo Código Florestal do Senado, defendido pelos ruralistas, aponta a continuação da impunidade ambiental como causa do recrudescimento da desforestação. Enquanto que outros comnentários relacionam o aumento dos índices ao fato da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEDAM) ter assumido a fiscalização do estado. 

Área desmatada em Jaci Paraná (Porto Velho)
e que já começõu a alagar pela barragem de Santo Antônio.


Madeira retirada da área de alagação da Usina de Santo Antônio,
na beira do Rio Jaci Paraná.
Por outro lado, o destaque do governo federal, de que se trata da menor taxa de desmatamento global na Amazônia desde 1988, tenta minimizar o constrangimento e o impacto negativo que pode ter para o Brasil o anúncio da desforestação de mais 6.238 km2 de floresta amazônica, nestes dias que acontece a Conferência Internacional do Clima da ONU, que se realiza em Durban, sobre aquecimento global e mudanças climáticas.

Rondônia não pode voltar aos índices de 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.