quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Fazendeiro é acusado de mandante de duas mortes.

Em carta recebida da Secretaria da Estado de Segurança de Rondônia, se confirma a detenção de Daniel Roberto Stivanin, o passado dia 28/11/11, e também de Juarez Lopes dos Santos, como responsáveis das mortes de Luiz Jorge Rodrigues e Geni Alves Rodrigues, líderes do Assentamento São Francisco, em Ariquemes. As mortes aconteceram na data de 18/01/2006. A CPT RO parabeniza a atuação da justiça para desvendar os homicídios e a violência agrária no estado, reduzindo a situação de impunidade. 
Por outro lado, fontes da CPT comunicaram que o mencionado fazendeiro, Daniel Roberto Stivanin, já estava solto na passada sexta feira dia 02/12/11. O Fazendeiro Daniel Roberto Stivanin tenta desocupar quase 200 famílias em Ariquemes (Gleba Burareiro - área da União Federal) e chegou a fazer ameaças ao Arcebispo de Porto Velho - Dom Moacyr Grechi.
O despejo, ordenado pela justiça para o passado dia 5/12/11, não aconteceu porque a polícia de Rondônia está em greve. Enquanto em reunião com a Ouvidoria Agrária, foi solicitado a justiça federal de Rondônia aguardar a sentença em Brasília sobre esta terra, que o INCRA reivindica como Terra da União.

5 comentários:

  1. FIQUEM SABENDO QUE O TAL FAZENDEIRO DANIEL ESTA ESCONDIDO EM PORTO VELHO NO BECO ALTO PARAISO, BAIRRO PANAI ATRAS DO PEREIA

    ResponderExcluir
  2. Fiquem sabendo também que o mesmo não cometeu taus atos. Está sofrendo com falsas acusações de pessoas que querem tomar suas propriedades.
    Gente que também quer ele preso para se apossar de sua propriedade. Tem também políticos envolvidos.

    ResponderExcluir
  3. É importante lembrar que existem os dois lados da moeda.
    A história não se reduz ao casal que morreu neste conflito.
    Há um fazendeiro que lutou pra conseguir suas terras tentando defendê-las.
    Há uma série de pessoas interessadas em acusá-lo devido a interesses pessoais.
    A morte já foi um fato consumado.
    O ideal seria encerrar este capítulo, propor um acordo para que não haja mais sangue derramado.
    Quem conhece o fazendeiro, sabe da sua índole e do seu caráter, que um homem honesto e guerreiro como ele jamais usaria da morte para silenciar alguém.
    Ele é inocente.
    Está simplesmente lutando para manter os seus bens. Qualquer um defende aquilo que é seu.
    Ele deveria ser esquecido... As pessoas deveriam parar de pensar em vingança e em prejudicá-lo, e no lugar disso, deveriam pensar no bem de si mesmas e de suas famílias, em seus sustentos, em seus sonhos.
    É preciso confiar na justiça de Deus,ao invés de procurar fazê-la com as próprias mãos. Ele não tarda e nem falha.
    Fiquem em paz. Estas terras precisam de luz.
    Que Deus abençõe todos vocês que estão envolvidos nesta trama.
    Que as forças Universais se convertam neste lugar em prol de harmonia, e que promovam a paz e a resolução deste conflito.

    ResponderExcluir
  4. O AnônimoJan 6, 2012 07:14 AM é inqualificável.
    "A morte já foi um fato consumado.
    O ideal seria encerrar este capítulo, propor um acordo para que não haja mais sangue derramado."
    A cadeia é o único acordo possivel em casos como esse. E Vc cai en contradição quando diz

    "Ele é inocente.
    Está simplesmente lutando para manter os seus bens. Qualquer um defende aquilo que é seu."
    "lutando para manter os seus bens" por acaso quer dizer matar os outros?

    É preciso REFORMA AGRARIA JÁ e CADEIA PRA LATIFUNDIARIOS. CHEGA DE CRIMES NO CAMPO! CHEGA DE CORONES ASSASSINOS NO CAMPO!

    ResponderExcluir
  5. Certamente você não faz parte desta Pastoral.

    Nunca pregamos violência no campo.

    E como Jesus disse: Não Julgueis para não serdes Julgado.

    A Justiça será feita, mas não por você, dessa forma.

    Portanto, sugiro respeito, senão serei obrigado a colocar um moderador na página.

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.