quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Cooperativa de garimpeiros denuncia ex tesoureiro.

POLÍCIA PODE PRENDER FALSO PRESIDENTE DE COOPERATIVA
Chico Nery. Porto Velho, Rondônia – O ex-Tesoureiro da Cooperativa de Garimpeiros, Mineração e Agroflorestas (MINACOOP), o operador de escarifuça (pequeno equipamento de lavra subaquática sem mergulhador), Enerly Martini, 51, poderá ser preso a qualquer momento se encontrado pela polícia rondoniense sob várias acusações. Mesmo excluído, ele continua usando, recibos em série, o CNPJ da entidade, e se recusa a prestar contas de parte do dinheiro das mensalidades pagas pelos cooperados.

Martini é natural a cidade gaúcha de Irai, na Mesorregião do Noroeste do Rio Grande do Sul, conhecida como estância hidromineral e estaria em Rondônia a pouco menos de uma década e meia, quando foi acolhido na entidade. E há um ano foi afastado sob várias suspeitas de irregularidades, que, só agora passaram a ser apuradas no âmbito policial e do Judiciário porque as denúncias chegaram a Brasília e à Procuradoria Geral da Pública, em Rondônia, Amazonas e Pará.
O “Gaúcho” – como ficou conhecido durante a “Operação Garimpo” da Polícia Federal que acabou em 2009-10 com parte das atividades ilegais nos garimpos de Mutum-Paraná (Vai-Quem-Quer) e do Belmont, o ex-Cooperado faz parte do grupo de ilegais liderado, supostamente, pelo brasileiro-boliviano Arão Mendes Rodrigues, este investigado pelo Ministério Público Federal e que agora tenta escapar levando dragas e equipamentos para os estados do Amazonas e Pará.
Depois de terem sido esgotadas todas as chances dadas “Martini” para que devolvesse talonários, recibos, papéis timbrados e documentos que ele se apropriou, indevidamente, o ex-tesoureiro foi denunciado às Polícias Civil e Federal, à Procuradoria Geral da República (PGJ), além da MINACOOP ter oficializado o caso junto à Junta Comercial (JUCER), DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), órgãos reguladores e da Receita Federal, Estadual e Municipal, respectivamente. Sabe-se, no entanto, que desde 2007 “ele se intitula presidente da MINACOOP em meio ao empresariado estrangeiro e do sul do País”.
QUEIXA-CRIME – Os diretores da Cooperativa - com o aval da maioria dos sócio-fundadores e cooperados em situação legal -, de acordo com o Estatuto que rege a entidade e o Código Penal, através do seu Departamento Jurídico, recorreram à Polícia e à Justiça na tentativa de conter o ex-cooperado a fim de evitar novos golpes, cuja atuação de Martini, além do apoio de Arão Mendes Rodrigues, se gaba de contar, ainda, “com o apoio financeiro de duas das três compras de ouro acusadas de não emitirem notas fiscais que comprovem a origem o produto roubado dos garimpos das outorgas destinadas pelo DNPM à MINACOOP”.

Fonte: Xico Nery

Autor: Xico Nery

5 comentários:

  1. Vamos dar um desconto pra esse coitado gente rsrsrsrsrs, olha de quem ele é assessor de imprensa Washington Charles o maior vagabundo que eu já vi nos últimos tempos, gosta mesmo é de pegar dinheiro dos garimpeiros e não faz nada, na verdade os dois fazem uma bela dupla de coitados e invejosos....
    Ficam difamando pessoas de bom caráter por pura inveja, não tem competência pra fazer nada e por isso ficam tentando derrubar os outros.

    ResponderExcluir
  2. Tem mais uma coisa, a Minacoop tem muita é dívida isso sim, nisso ela é rica, deve a SEDAM, o DNPM entre outros lugares. E área, ela tem uma minúscula área no Belmont e isso por enquanto, porque a do Mutum o Washingotn vendeu e as outras que ele diz ter é tudo mentira é só entrar no site do DNPM e ver o que realmente tem. O Washington é um coitado.....

    ResponderExcluir
  3. eles estão querendo ser os chico mendes de rondonias quero saber dos ossos robados

    ResponderExcluir
  4. HUAHUAHUAHAH quer dizer então que além de roubar gente descente ele também é ladrão de ossos????!!!

    ResponderExcluir
  5. se ele rouba ossos imagina ouro... kkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.