sexta-feira, 9 de setembro de 2011

VIDAS AMEAÇADAS



No dia 27 de agosto de 2011 o Excelentíssimo senhor desembargador Gercino José da Silva Filho, Ouvidor Agrário Nacional e presidente da Comissão Nacional de Combate à violência no Campo, encaminharam um ofício ao Excelentíssimo Senhor Doutor Marcelo Nascimento Bessa, Secretário de segurança, defesa e cidadania de Porto Velho-Rondônia.
O conteúdo do ofício supracitado acima se refere a um pedido de providências cabíveis e aplicáveis às ameaças que os trabalhadores rurais Antônio Marques dos Santos, Adevair José de Souza e Leonel dos Santos Feitosa – lideranças do Acampamento Morro Vermelho estão sofrendo.
Estes trabalhadores denunciaram estar sendo ameaçados de morte por uma pessoa conhecida por Wanderley de Araújo, irmão do deputado estadual Valter Araújo, atual presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia e os mesmos afirmaram que foi oferecido o valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para matá-los, em razão do recente conflito agrário ocorrido na fazenda Morro Vermelho, localizada no distrito de Mutum, município de Porto velho. Informações estas que obtiveram de pessoas anônimas que não querem se identificar por medo.
Através de um companheiro de Antônio Marques – Cotia, ficamos sabendo que ele foi pessoalmente ameaçado em pleno aeroporto de Porto Velho quando estava acompanhando sua esposa que estava viajando para tratamento de seu filha.

As três lideranças mencionadas acima tiveram que se escondere para protegerem suas vidas. Com isso, as demais famílias que estão lutando por um pedaço de terra na fazenda Morro Vermelho sentiram enfraquecidas na luta pela ausência das lideranças.

2 comentários:

  1. ASSOCIAÇAO DOS TRABALHADORES RURAIS DO VALE DO RIO GUAPORE NO ESTADO DE RONDONIA.VEM MUI.RESPEITOSAMENTE,E RESPONSAVELMENTE.LAMENTARMOS.QUE ESTAJAM ACONTECENDO.ESSAS DESGRASSAS.EM PLENO SECULO XXI.POIS E LAMENTAVEL QUANDO NOS POBRES CONFIAMOS,EM PESSOAS TOTALMENTE DESINFORMADAS,OU MUITOS INFORMADOS.POIS NAO EXISTEM ESSAS CONFIANÇAS,QUE MUITAS VEZES SAO PUBLICADAS,POIS ESSA COMISSAO DE MEDIAÇAO DE CONFLITOS AGRARIOS,SAO UMA FARSA.E ELES E QUEM COMANDAM AS INVASOES.POIS ELES MANDARAM NOS LIDERES. DA ASSOCIAÇAO INVADIRMOS AS AREAS DE FAZENDAS.MAIS NOS SABEMOS E DE MUITOS ANOS ATRAZ.QUE A LEI-NAO DIZ NADA A RESPEITOS SOBRE DIREITOS DE POSSE.SENDO INVADIDAS.ENTAO NOS TEMOS QUE FAZER.COMO FOI FEITO COBRAR AS AUTORIDADES MAXIMAS.EM BRASILIA.SEM POLITICA DESVIADORA DE CONDUTAS.POIS O SENHR DESEMBARGADOR DR;GERCINIO JOSE DA SILVA.DEU NOS UM DIREITO DE NOS COLOCARMOS AS FORÇAS ARMADAS CHEFEAREM O INCRA.EM NOSSOS TERRITORIOS DA UNIAO.POIS O QUE ADIANTA,O FAZENDEIRO SAO LARANJAS DOS SENADORES DA REPUBLICA.ENTAO TEM QUE SER DA MANEIRA,ASSIM COMO NOS FIZEMOS,EMBORA FOMOS DENUNCIADOS POR A PASTORAL A TERRA.MAIS CONSEGUIMOS SERMOS VITORIOSOS.POIS O SENHOR,DOUTOR:MINISTRO DE ESTADO E JUSTIÇA SR:JOSE EDUARDO CARDOSO.JA OMOLOGOU OS TERRITORIOS DOS INDIGENAS.EM GUAJARA-MIRIM-RO NAS MARGENS DO GUAPORE E NAO NA BR-429-RONDONIA. ASSIM COMO OS REPRESENTANTES DOS INDIGENAS DIZEM.ENTAO SE OS LIDERES DO MST,SEMPRE FORAM ENGANADOS.POR ESSES OPORTUNISTAS DAS MISERIAS DAS FAMILIAS POBRES.ELES NAO VAO SER MAIS.POIS AGORA VAI SER POSTO UM PONTO FINAL NESSA HISTORIA.QUE JA SEARRASTAM POR 30 ANOS.DE PERDAS DE VIDAS HUMANAS.PARA UMA MEIA DUZIA.SE DAREM BEM COM SANGUE HUMANOS.

    ResponderExcluir
  2. Pedimos socorro. Atualmente, no acampamento Morro Vermelho, vivemos em total esquecimento. AS autoridades competentes ainda nos deicham em total abandono e esquecimento.As familias acampadas estão ali em total desconforto,com falta de apoio,informação do processo de assentamento.
    Gostariamos que o nosso governador DR.CONFUCIO MOURA JUNTAMENTE COM O INCRA E DEMAIS AUTORIDADES, nos dessem um pouco de sua atenção;
    , somos seres humanos, temos filhos e precisamos apenas de um pedaço de chão para nossa sobrevivencia.
    Desde de ja agradeçemos vossa atenção.
    ACAMPADOS DA FAZENDA MORRO VERMELHO.
    Feliz Natal e um prospero ano novo para todos nos.

    ResponderExcluir

Agradecemos suas opiniões e informações.