quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Novo despejo e graves ameaças

Armas apreendidas em Chupinguáia.
Cinquenta e quatro famílias do Acampamento Barro Branco foram novamente despejadas em Chupinguáia, a pedido do empresário, político e pecuarista Ilário Bodanese, de Vilhena. No mesmo dia Udo Walhbrink, presidente do sindicato de trabalhadores rurais de Vilhena, tem novamente sofrido graves ameaças de morte e teve que fugir pela abordagem suspeita de um carro com dois homens desconhecidos. As famílias do Barro Branco já tinham sofrido despejo em fevereiro, e mais tarde voltaram a ocupar a terra da união reivindicada para reforma agrária. Outras lideranças do acampamento sofreram ameaças e dois homens foram baleados em junho. Depois da intervenção da Ouvidoria Nacional contra a Violência no Campo, um pistoleiro foi detido e diversas armas foram retiradas da Fazenda Bodanese. Por outro lado, ontem a ouvidoria do INCRA reconheceu em Seringueiras e Vilhena novos procesos de despejo de posseiros em terras da união, que não conseguem evitar.

Chupinguáia e todo o Cone Sul de Rondônia, é uma das regiões onde mais tem avançado a soja e o agronegócio, concentra numerosos confitos agrários contra pequenos agricultores. Em 29/07/10 o Ministério Público Federal já abriu inquérito público contra as repetidas ameaças de morte  recebidas pelo presidente do sindicato dos Trabalhadores Rurais de Vilhena, Udo Valhbrink, que dá apóio aos acampados.

Um comentário:

Agradecemos suas opiniões e informações.