sábado, 13 de agosto de 2011

O governador de Rondônia escreve sobre os conflitos agrários


Uma das 84 casas das famílias despejadas judicialmente
em Fevereiro em Chupinguáia (A. Barro Branco).
Lideranças foram ameaçadas e dois moradores
do local foram baleados posteriormente em julho.
Em resposta à presidenta Dilma, que cobrou posição firme dos estados de Rondônia, Pará e Amazonas, o governador Confúcio Moura, governados de Rondônia, admite que existem no estado  "27 acampamentos rurais, conflituosos, sem nenhuma solução "; "muitos deles há mais de dez anos sem solução".  E admite que existem  "Inúmeros mandados de reintegração de posse". Acrescentando: "Que terei que agir para atendimento à justiça".  

As afirmações do dia 11/08/11 estão no blog pessoal de Confúcio Moura. Ele diz ter apresentado relatório dos conflitos agrários de Rondônia o dia 08 para o Secretário Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

 
Ainda para o governador, os conflitos agrários "Ao INCRA e Governo Federal cabem solucioná-los", afirmando que o governo de Rondônia irá apenas realizar um trabalho de "mediação", um "trabalho diplomático importante". Para ele, a solução seria comprar boas terras perto das cidades e das estradas "Ao invés de jogar famílias a penúrias de lugares ermos, sem estradas, fim de mundo. Absurdo". E acrescenta: "Adquira terra boa, perto de cidades, em resumo, comprar, na forma da lei,terras boas nestgas condições. Com certeza, ficará bem mais barato. Este será o meu trabalho".
Acampamento Sílvio Rodrigues, na Br 429 entre Presidente Médici e Alvorada d`Oeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.