sexta-feira, 22 de julho de 2011

Superfaturamento na BR 429 em Rondônia

Diversos canais de notícias do país dão conta que o escândalo que atinge o Ministério dos Transportes e o Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit) coloca em cena o asfaltamento da Br-429 no estado de Rondônia. A BR-429 une o município de Presidente Médici, Alvorada, São Miguel do Guaporé, Seringueiras, São Francisco do Guaporé e Costa Marques. Reportagem exibida pelo Jornal Nacional afirma que as obras de recuperação e conservação da BR 429 estariam sendo superfaturadas. Os técnicos do tribunal de contas da união descobriram superfaturamento nos contratos de execução de seis obras que fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Pelo menos R$ 78.612.226,00 estão sendo pagos de forma indevida às empreiteiras, de um total do Dnit no orçamento geral da União para essas obras de quase R$ 486 milhões.

Segundo outras fontes, o DNIT teria contratado serviços sem licitação na realização das obras na BR-429. A execução da obra continua na BR-429, porém o Tribunal de Contas da União já recomendou a paralisação imediata das obras.
A BR-429 desde a abertura em 1985 foi uma estrada de altíssimo impacto socioambiental, cortando em dois a floresta amazônica no Vale do Guaporé. Passando nos limites da AI Uru Eu Au Au, da AI Rio Branco, tem provocado contínuos problemas de invasões, de garimpos e retirada clandestina de madeira, existinbdo diversos grupos indígenas sem contato nas imediações. A BR -429 também corta a Terra Indígena reivindicada pelos indígenas puruborá, e é vizinha da terra dos miquelenos e dos cojubim, ficando nas proximidades dos território de diversas comunidades quilombolas e dos extrativistas do Rio Cautário, do Parque Estadual da Serra dos Reis e da Reserva Biológica do Guaporé.
A obra realizada pelo DNIT está sendo diretamente impulsadas pelo senador Valdir Raupp e pela deputada Marinha Raupp, "madrinha da BR-429", e já tem sofrido questionamentos e o pedido de paralisação por parte do Ministério Público Federal, uma vez que as compensações sociais e ambientais pelo asfaltamento da BR-429 não estariam sendo cumpridas. 

4 comentários:

  1. associaçao dos trabalhadores rurais do vale do rio guapore no estado de rondonia.comentamos e lamentamos as pessoas na serem conhecedores dos problemas sobre o nosso asfoalto da br 429 para nos poder ter a br aberta para o exercito poder abrir a br foi preciso quase uma guerra.com os paizes ricos.enta depois de aberta foi preciso vir na epoca do presidente fhc mandar 98 milhoes para o senhor valdir raupp de matos e nao conseguiu fazer agora estavam desviando mais de 12 milhoes entao essa br tem uma fantaia.que quase ninguem intende.

    ResponderExcluir
  2. Eu não acredito nesta reportagem!!!

    Sou de Alvorada e vou a Costa Marques muitas vezes...

    Fora o trecho entre Serigueiras e Porto Murtinho está uma maravilha... eu quero é saber cadê as pontes!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ninguém questiona o asfalto, mais a corrupção e o superfaturamento, do qual citamos diversas fontes: "Os serviços de arquiologia da BR-421, em Rondônia, foram contratados sem licitação pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT). A informação está contida em um Relatório de Gestão de 2010 do órgão federal, enviado ao Tribunal de Contas da União (TCU). O trabalho de arquiologia custou aos cofres da União R$ 5,7 milhões. O dinheiro veio por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a empresa responsável pelo trabalho seria a Fundação Roberto Trompowsky. O DNIT contratou, ainda, por R$ 12 milhões a mesma fundação para execução do trabalho de gerenciamento ambiental de obras rodoviária do PAC."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. associaçao dos trabalhadores rurais do valçe do rio guapore no estado de rondonia.vem mui.respeitosamente,e responsavelmente.lamentar,como que um pais assim como o nosso brasil.esta cheio homens corruptos,como que nao vai,sem cobrarmos.pois onde que sevio,esse departamento de infraestrutura,esse dnit,tem que ser estirpado.porque ja vai.para cinco asfoalto,aqui em nossa br-429-rondonia,cada pres,da republica,enviaram,e depositaram,bilhoes,e bilhoes de reais,para serem construida,a amesma br-ja vai.para cinco asfoalto publicado,construido,e ate hoje nunca foi feito.pois agora o dnit,contrata,essa empresa de arquiologico,com uma tamanha mentira,que aqui nao existem essas coisa,e ainda por cima,roubam 5;7 milhoes de reais dos cofres publicos.para fazer um estudo sem clareza.entao e muito ruim.para as autoridades,assim foi com a ricardo franco,mais 12, milhoes.para estudar,impacto indigenas aqui nas margens da br-429-rondonia.com falcidade pois aqui nao existem indigenas,entao e muito ruim.para o nosso pais,esses coruptos,lezarem os nossos cofres publicos,em bilhoes, e milhoes,do pac-01-e do pac-02;aquase 32 anps de existencia.e ate hoje nada feito.nosso muito obrigado.hermes cavalheiro

      Excluir

Agradecemos suas opiniões e informações.