quinta-feira, 23 de junho de 2011

Indígenas Cassupá e Salamãi realizam Assembleia em Porto Velho

José Luiz Kassupá
22/06/2011 - 17:40 - O encontro foi realizado entre os dias 18 e 19 deste mês, na Oca Cassupá, localizada no KM 5,5 da BR 364 (sentido Porto Velho a Cuiabá), em Rondônia, recebeu os parentes na última semana para a Assembleia Geral dos povos Cassupá e Salamãi. O evento foi realizado entre 18 e 19 de junho, na casa de dona Maria Cassupá, uma das matriarcas do povo. Participaram do evento, os indígenas que vivem em Porto Velho, Chupinguaia e Vilhena. O eixo central de todo o encontro foi a regularização da terra onde hoje vivem algumas famílias dos povos Cassupá e Salamãi, de propriedade do Ministério da Agricultura. A área localizada no KM 5,5 virou morada dos indígenas quando estes foram transferidos pela Fundação Nacional do Índio (Funai) para o local, em 1967. O governo federal já reconheceu que parte da terra pertence ao povo Cassupá e outra ao povo Salamãi, faltando agora a demarcação da área e a garantia da permanência dos indígenas no local.
Outra questão discutida durante a assembleia foi a demarcação do território tradicional desses povos, que fica na Cascata, rio Pimenta Bueno e Santa Elina, município de Chupinguaia, ao sul do estado. Foi deste local que três famílias foram transferidas pela Funai em 1967, permanecendo um grupo maior ainda na área.
Durante todo o evento, os participantes apresentaram ainda suas queixas, experiências e reivindicações em relação à saúde e educação. Ao final do encontro, indicaram seus representantes para professores, conselheiros de saúde e agente indígena de saneamento.
Os sabedores do povo em número de seis vieram de Vilhena e Chupinguaia para dar força aos parentes durante o encontro. Ao som da flauta, chocalho, e com os cantos tradicionais animaram a assembleia e mostraram que a tradição e a cultura destes povos ainda estão muito presente.
Nas conversas ficou visível o descontentamento em relação ao tratamento dispensado pelo governo à causa indígena no estado. Os representantes da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), em Porto Velho, e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) sequer compareceram ao evento. Nem mesmo respostas ao convite feito deram. Situações como esta, somadas à precariedade e descaso no atendimento médico hospitalar dos indígenas causam desgosto em relação à atuação do Estado na região.
Em deliberação da assembléia foram escritos vários documentos, criada uma comissão que ficará responsável por encaminhar as reivindicações aos órgãos competentes, bem como atuará para acelerar o processo de regularização da terra indígena Cassupá e Salamãi.
Estiveram presentes, além dos povos Salamãi e Cassupá, Antenor Karitiana representante da Comissão Estadual Indígena e presidente do Conselho Local de Saúde, representantes da Funai, Cimi, Unir e IMV.
fonte: cimi

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.