quinta-feira, 16 de junho de 2011

Extração ilegal de cassiterita em área indígena


Garimpo de cassiterita de Bom Futuro

Operação da Polícia Federal deflagrada em Ariquemes, Rondônia, tenta desarticular a extração clandestina de cassiterita da área indígena Tenharim-Igarapé-Preto, situada nos limites dos estados de Rondônia, Amazonas e Mato Grosso. A descoberta do minério de estanho, a cassiterita (óxido de estanho, SnO2), em 1950 converteu Rondônia no estado produtor do 40%  da cassiterita produzida no Brasil. A suspeita de extração clandestina de cassiterita de áreas indígenas, que provoca grave impacto ambiental,  se confirma com esta operação deflagrada pela Polícia Federal.
A Polícia Federal no Estado de Rondônia deflagrou na manhã desta quinta-feira (16/06/2011) a OPERAÇÃO OURO PRETO, com o objetivo de desarticular organização criminosa que atuava na devastação da floresta amazônica e extração ilegal de minérios.
As investigações se iniciaram em 2008 visando apurar a extração ilegal de minério (cassiterita) no interior da terra indígena Tenharim-Igarapé-Preto, localizada nas divisas dos Estados de Rondônia, Amazonas e Mato Grosso, local de difícil acesso em plena floresta amazônica.
No desenvolvimento das investigações constatou-se a existência de uma organização criminosa estruturada e estabelecida na cidade de Ariquemes/RO, promovendo extração ilegal de cassiterita há anos, provocando grandes prejuízos à União e ao meio ambiente.
Segundo levantamentos, a organização criminosa agia como uma empresa, com setores especializados em cada etapa do processo criminoso.
Parte da quadrilha era responsável pelo abastecimento de suprimentos básicos como combustível, alimentação, além do aluguel de maquinários pesados (Pás carregadeiras – PC’s) necessários ao desenvolvimento da atividade. Outros integrantes da organização criminosa se dedicavam ao transporte e venda do minério, especialmente para grandes empresas sediadas em Ariquemes/RO. Outro segmento da organização criminosa se dedicava a “esquentar” o produto ilegalmente extraído da terra indígena, utilizando notas fiscais “frias”, emitidas por cooperativas de garimpeiros da região de Ariquemes/RO, possibilitando a venda e exportação do mineral para grandes companhias.
Estima-se que nos últimos 5 anos foram ilegalmente extraídas da área mais de 2.500 toneladas de cassiterita por diversos infratores, tendo a União suportado um prejuízo de mais R$ 60.000.000,00 (sessenta milhões de reais), desconsiderando-se o valor do dano ambiental causado. A área degradada é de aproximadamente 1.000 hectares. Serão cumpridos 08 mandados de prisão temporária, 18 mandados de busca e apreensão em residências, empresas e cooperativas de garimpeiros da região, além do seqüestro de 35 veículos e bloqueio de contas bancárias dos investigados. São empregados 100 policiais federais na ação desta quinta.
Os investigados responderão pelos crimes de receptação, formação de quadrilha, falsidade ideológica, usurpação de bem público da União e extração ilegal de minérios.
De Tudorondonia.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.