sábado, 30 de abril de 2011

A Economia Solidária se mobiliza

Image
As organizações ligadas à Economia Solidária estão se mobilizando para Mas, para que um debate público possa acontecer de forma ampla e democrática sobre o Projeto de Lei 865 que trata sobre a Economia Solidária: "Solicitamos ao governo que o PL 865 não seja ainda votado durante o mês de maio.Estamos em um momento determinante para sairmos às ruas e mobilizar a sociedade de forma geral para colocar e fortalecer as pautas políticas da Economia Solidária e a proposta de uma outra sociedade. Vamos mobilizar nos estados a força das/os trabalhadoras/es da economia solidária, mostrarmos a nossa cara e as nossas bandeiras!"

A HORA É AGORA! VAMOS SAIR ÀS RUAS!

Além disso, é preciso assegurar a presença dos fóruns de economia solidária, frentes parlamentar da Economia Solidária e da Micro e Pequena Empresa, organizações das micro e pequenas empresas e SENAES.
Também temos que garantir que haja uma boa e fiel sistematização das audiências, contemplando as argumentaçõeA semana de 25 a 28 de abril foi de muitas conquistas para o movimento. Graças ao posicionamento do FBES e as mobilizações já realizadas em todo o país, o governo abriu um espaço de diálogo com o movimento de economia solidária através da criação de um grupo de trabalho permanente ligado à presidência. Além disso, foi criada uma Comissão Tripartite entre a Frente Parlamentar de Economia Solidária, a SENAES e o FBES, que tem a responsabilidade de animar e ouvir os resultados das audiências públicas estaduais.
Mas, para que o debate público possa acontecer de forma ampla e democrática, precisamos de tempo. Solicitamos ao governo que o PL 865 não seja ainda votado durante o mês de maio. Entretanto, o Ministro Gilberto Carvalho disse que não consegue dar esta garantia agora, e vai consultar a Presidenta, que por sua vez disse que está com pressa de votar o PL.
Temos um objetivo comum com nossas mobilizações: é preciso ampliar o espaço institucional da política pública e economia solidária e ao mesmo tempo preservar nossos acúmulos, orientações, identidade e horizonte político construído depois de tantos anos de luta em nossos empreendimentos, entidades e articulações. Não podemos abrir mão de nossa história e identidade!!!
Uma coisa ficou bastante clara nesta semana de luta: só a mobilização e o debate aberto em nossas bases poderá garantir este objetivo!!!
Por isso, a Coordenação Executiva e integrantes da Coordenação Nacional do FBES enviam orientações e a convocatória para toda a militância da economia solidária no país e nos Fóruns Municipais, Microrregionais e Estaduais:

Agenda nacional de mobilização

1º de Maio: Dia comum de mobilização em todos os estados e localidades
Pelo direito de produzir e viver em cooperação de maneira sustentável!
Se organizar em autogestão é trabalhar sem ser patrão!
Somos trabalhadores/as associados/as coletivamente, e não pequenos/as patrões/as, nem empregados/as!
Vamos reafirmar que somos trabalhadoras e trabalhadores organizados coletivamente, autogestionários, que socializam o processo e o resultado de nosso trabalho;
Organizar a participação com outros movimentos sociais, preservando a nossa identidade;
Dar visibilidade às nossas bandeiras da economia solidária, com as camisetas que produzimos e outros materiais que mostrem nossa identidade1
16 a 20 de maio: A Economia Solidária se une ao Grito da Terra, em Brasília!
Nos dias 16 a 18 de maio, a CONTAG organiza o Grito da Terra. Vamos levar delegações da Economia Solidária de todo o país e fazer um grande ato em Brasília! Nestes dias, ocorrerão duas atividades importantes:
17/05: Audiência pública no Congresso Nacional para debater a política pública de economia solidária e o PL 865.
18/05: Relançamento da Frente Parlamentar da Economia Solidária;
Em conjunto com o Grito da Terra e os diversos movimentos sociais que historicamente constroem o Grito, vamos nos somar à estas lutas, estender nossas bandeiras, fazer uma grande Ciranda3 e realizar uma feira de trocas na Esplanada dos Ministérios. Sugerimos que busquem diálogo as Fetags Estaduais que organizam a vinda dos estados para Brasília4.
Sugerimos que cada estado organize suas caravanas estaduais rumo à Brasília. A meta sugerida é 2 ônibus por estado5. Tragam bandeiras, faixas, panfletos, camisetas6, elementos da cultura de cada estado, produtos e serviços para trocar!

Ações de mobilização em cada estado

Audiências públicas
O ponto central das nossas reivindicações junto ao governo federal foi de abrir o debate através de audiências públicas. Para isso, é fundamental que cada Fórum Municipal, Microrregional e Estadual de Economia Solidária dialogue com deputados estaduais e vereadores para que se organize estas audiências públicas em todas as câmaras estaduais do país! A realização de uma audiência pública é via articulação com as assembleias legislativas estaduais.
É bom ressaltar que as audiências públicas, têm como principal objetivo discutir a política de economia solidária e a proposta do PL 865, mas ocorrem com outros atores para além da economia solidária, tais como entidades de representação de micro e pequenas empresas. Por isso, é importante que os fóruns locais se preparem para o debate!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.